Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Custo da mão de obra em Portugal é o 6.º mais baixo da zona euro

Em Portugal, o sector da saúde, a par da educação e da arte e entretenimento, é um daqueles onde a hora de trabalho é mais bem paga

José Caria

Custo salarial acelera e sobe mais do que a média europeia. Em Portugal, o custo por hora (13,7 euros) é um terço da Dinamarca e o triplo da Bulgária

O custo salarial em Portugal está a subir acima da média da União Europeia (UE), mas permanece na parte inferior da tabela. Na mão de obra, Portugal é o sexto país mais barato.

Em 2016, o custo por hora subiu 2,5% (1,6% na UE), para 13,7 euros, de acordo com os dados, excluindo agricultura e função pública, divulgados pelo Eurostat esta quinta-feira. É o sexto aumento mais pronunciado na UE, em igualdade com a Alemanha.

O valor de 13,7 euros coloca Portugal como um dos países mais baratos (19.º entre 28 Estados-membros da UE). Considerando a zona euro, só os três páises bálticos, Malta e Eslováquia apresentam custos horários mais baixos.

Dinamarca e Bulgária em polos opostos

O valor médio na zona euro cresceu em 2016 para 29,8 euros por hora. Na UE está nos 25,4 euros. Os valores mais elevados verificam-se na Dinamarca (42 euros por hora). No polo posto está a Bulgária (4,4 euros).

Por sectores de actividade, é na indústria que se pagam valores mais elevados na zona euro: 32,6 euros. Em Portugal, a remuneração mais elevada ocorre nas Outras Actividades (15,4 euros), uma rubrica que inclui educação, saúde, arte e entretenimento.