Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Reembolsos de IRS 2016 deverão ser pagos em menos de um mês

As Finanças estimam que para o IRS Automático os reembolsos “se realizem no prazo máximo de quinze dias” e em menos de um mês para os restantes contribuintes

O Ministério das Finanças estimou esta sexta-feira um prazo máximo de 15 dias para o reembolso do IRS Automático de 2016 e de menos de um mês para os restantes contribuintes, na véspera do início do período de entrega das declarações.

Em comunicado, as Finanças estimam que para o IRS Automático (que abrange a partir deste ano cerca de um milhão e 800 mil contribuintes) os reembolsos "se realizem no prazo máximo de quinze dias após a confirmação da declaração pré-preenchida".

"Para a entrega em papel e via internet, é expectável que o prazo médio de reembolso seja inferior ao dos últimos dois anos, que foi em média de 30 dias em 2015 e de 36 dias em 2016", refere.

A tutela avisa, no entanto, que tratando-se de tempos médios, "naturalmente, e tal como nos anos anteriores, o prazo de reembolso, em alguns casos mais complexos, pode exceder significativamente aquela duração".

Os contribuintes, com todos os tipos de rendimento, têm a partir deste ano um prazo único para entregar a sua declaração de IRS de 2016, que começa no sábado e termina a 31 de maio.

O IRS Automático, que está disponível para os contribuintes sem dependentes e apenas com rendimentos de trabalho ou de pensões em Portugal e que estejam enquadrados nas restantes condições da lei, "permite aceder a uma declaração já preenchida e a sua entrega de uma forma simples, cómoda e célere", refere a nota.

Os contribuintes não abrangidos pela Declaração Automática de Rendimentos, e os que, estando abrangidos, verifiquem que a informação pré-preenchida não é correta, devem proceder à entrega da declaração modelo 3 nos termos gerais, acrescenta o Ministério das Finanças.

A Autoridade Tributária e Aduaneira disponibiliza informação mais detalhada AQUI.

  • IRS: quanto mais cedo entregar, mais cedo recebe o reembolso. Será?

    Tenho lido vários comentários de contribuintes a dizerem que vão entregar o IRS logo no dia 1 de abril, ou até 48 horas antes (o sistema deixa, porque nessas dias já está em fase de testes). O argumento é: quanto mais cedo entregar, mais cedo recebo o reembolso. Assim fico logo “despachado”! Será?

  • Prepare-se. O IRS está aí outra vez

    Pois é. Está quase na altura, outra vez, de entregar o IRS. Em abril e maio (deixou de haver duas fases), deverá preencher novamente o famoso Modelo 3 com os seus rendimentos e deduções relativos a 2016. O quer é que isto tem a ver com poupança?