Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Leilão das novas garantias de potência poupa 7 milhões aos consumidores de eletricidade

Nuno Botelho

Atribuição por concurso das remunerações aos produtores de eletricidade para garantirem uma reserva de segurança permitirá este ano uma poupança de 56% face ao que custaria o anterior modelo administrativo de garantia de potência

Miguel Prado

Miguel Prado

Jornalista

O primeiro leilão de contratos de reserva de segurança do sistema elétrico nacional, num modelo que veio substituir a atribuição automática de subsídios por garantia de potência, vai permitir aos consumidores de eletricidade em Portugal poupar este ano 7,2 milhões de euros.

O leilão, informou a ERSE (Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos), encerrou com um preço de 4775 euros por megawatt (MW), ligeiramente abaixo do valor base de licitação de 4800 euros por MW garantido, um montante que, por seu turno, já estava 20% abaixo da referência de 6000 euros por MW que era atribuída aos produtores de eletricidade que no anterior regime eram pagos pela garantia de potência.

A potência para reserva de segurança que foi a leilão, relativa aos próximos três trimestres, era de 1766 MW e foi integralmente coberta pelas ofertas dos produtores de eletricidade.

Participaram, nesta oferta de contratos de reserva de segurança (um sucedâneo das anteriores garantias de potência), três empresas, entre as quais a EDP Serviço Universal, que assegurou 180 MW (cerca de um décimo dos volumes adjudicados).

Para os três trimestres que aí vem, estes contratos representarão um encargo efetivo para os consumidores de eletricidade de 5,7 milhões de euros, que fica 7,2 milhões abaixo dos 12,9 milhões que seriam suportados em igual período caso se mantivesse o anterior figurino das garantias de potência.