Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Banco de Portugal revê em alta projeções de crescimento da economia

Marcos Borga

As previsões apontam para um crescimento do PIB de 1,8% este ano, 1,7% em 2018 e 1,6% em 2019

O Banco de Portugal (BdP) reviu em alta as suas perspetivas para o crescimento da economia portuguesa entre 2017 e 2019. As projeções divulgadas esta quarta-feira apontam para um crescimento do PIB de 1,8% este ano, 1,7% em 2018 e 1,6% em 2019.

Estes valores traduzem uma melhoria de 0,4 pontos percentuais este ano, 0,2 pontos percentuais em 2018 e 0,1 pontos percentuais em 2019, em relação ao previsto pelo BdP em dezembro.

"A economia portuguesa deverá manter uma trajetória de recuperação ao longo do horizonte de projeção, apresentando um ritmo de crescimento em linha com o atualmente projetado para o conjunto da área do euro", lê-se no documento do BdP.

A melhoria das projeções efetuada pelo BdP prende-se com a revisão das hipóteses de enquadramento internacional, nomeadamente da procura externa. Resulta, também, do impacto do dinamismo da atividade no final de 2016 e início de 2017 ter sido superior ao antecipado no anterior exercício de projeção, aponta o BdP.

Assim, o crescimento da economia portuguesa deverá ser sustentado numa evolução robusta das exportações, refletindo um enquadramento económico e financeiro externo favorável e a manutenção de ganhos de quota de mercado, aponta o BdP.

Como resultado, o peso das exportações no PIB deverá passar de 40% em 2016, para 46% em 2019. Isto quando era de apenas 31% em 2008.

Outro fator a sustentar a expansão do PIB deverá ser um crescimento forte do investimento empresarial, considera o BdP. A previsão é de um crescimento do investimento empresarial em torno de 6% ao ano, em termos médios, entre 2017 e 2019. Tudo porque o investimento deverá beneficiar de condições monetárias e financeiras acomodatícias e de perspetivas favoráveis quanto à evolução da procura global, considera o BdP.

Também esta quarta-feira, o ministro das Finanças Mário Centeno, avançou à agência Bloomberg que o governo vai rever em alta a sua previsão de crescimento para este ano, de 1,5%, para cerca de 2%. Um valor que será enviado para Bruxelas em abril, no âmbito do programa de estabilidade e crescimento.

Apesar da melhoria das projeções para a economia portuguesa, o crescimento previsto pelo BdP está em linha com o atualmente projetado para a zona euro. Isto significa que, caso se confirmem os números, "o ritmo de crescimento será inferior ao necessário para o reinício do processo de convergência real face à área do euro", alerta o BdP.

Mais ainda, no final do horizonte de projeção, isto é, em 2019, o PIB deverá situar-se "num nível próximo de 2008". Isto significa que Portugal levará uma década apenas para retomar o nível do PIB anterior à crise, vigente em 2008.

Desemprego baixa dos 10% já este ano

A melhoria das previsões do BdP abrange também o mercado de trabalho. A insituição espera agora que a taxa de desemprego baixe dos 10% já este ano (taxa de 9,9%, quando em dezembro apontava para 10,1%). Para 2018 e 2019, o BdP aponta para taxas de desemprego de 9% e de 7,9%, respetivamente.

Uma evolução sustentada no aumento do emprego, que deve atingir 1,6% este ano e cerca de 1% em 2018 e 2019.

Contudo, o crescimento dos salários em termos reais (descontando o efeito da inflação) deverá ser "baixo", prevê o BdP. Uma evolução que deve condicionar a evolução do rendimento disponível das famílias.