Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Portugal deverá receber €10 mil milhões em investimento nas renováveis

D.R.

Presidente da Apren – Associação de Energias Renováveis estima que a maior fatia do investimento entre 2020 e 2030 se destinará a centrais solares

Miguel Prado

Miguel Prado

Jornalista

As perspetivas para a próxima década, entre 2020 e 2030, são de que Portugal venha a necessitar de novos investimentos em energia renovável. Quem o diz é António Sá da Costa, presidente da Apren. “Estima-se que neste período haverá cerca de 10 mil milhões de euros a ser investidos neste sector”, afirmou no Parlamento.

Segundo Sá da Costa, o país deverá receber 7,3 mil milhões de euros em novos empreendimentos de energias limpas e entre 2 e 3 mil milhões de euros na atualização tecnológica e reforço de potência de instalações já em operação.

Entre 2020 e 2030, no que respeita a novos projetos, a Apren espera 1400 megawatts (MW) de nova capacidade hídrica, 1300 MW de eólicas e 5200 MW de centrais solares. A estas últimas deverão corresponder investimentos de 3640 milhões de euros.

O presidente da Apren, que falava numa conferência sobre energia na Assembleia da República, sublinhou que neste sector “as decisões têm de ser tomadas com bastante antecedência”, reconhecendo que é especialmente difícil prever a evolução da procura de eletricidade e saber dar resposta a esse cenário.