Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Preço da emissão de dívida da CGD entre 11% e 11,5%

© Jose Manuel Ribeiro / Reuters

O sindicato dos bancos mandatados pela Caixa anunciou que o preço da emissão devera ficar fixado entre os 11 e 11.5%

O preço da emissão de divida perpétua subordinada da Caixa Geral de Depósitos deverá ficar fixado entre os 11% e os 11,5%, anunciou o sindicato de bancos mandatado para realizar a operação.

No mercado esperava-se que o banco estatal tivesse de pagar cerca de 10% aos investidores institucionais que aceitassem subscrever estas obrigações.

A CGD fez esta semana uma ronda para atrair investidores para a sua emissão de obrigações perpétuas, num total de 500 milhões de euros. A operação insere-se no projeto de capitalização do banco público, num valor global de 5000 milhões de euros.

A emissão, destinada a institucionais, vai ser feita a partir do Luxemburgo e as obrigações vão ficar cotadas naquela praça.

Este tipo de emissões de dívida com risco elevado, conhecidas como AT1 (additional tier 1) têm-se tornado comuns entre os bancos europeus e atraem procura devido aos juros elevados que pagam aos investidores.

  • CGD escapa à CMVM com emissão de €500 milhões no Luxemburgo

    A Caixa Geral de Depósitos tem algo a esconder da CMVM? Ou dos investidores? O banco estatal vai emitir 500 milhões de euros em dívida perpétua a partir do Luxemburgo. Assim escapa aos exigentes e rigorosos critérios de informação impostos pela Comissão do Mercado de Valores Mobiliários. Na CGD há outra explicação