Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Bolsa de Lisboa em alta com BCP a liderar ganhos

PSI20 com 19 títulos desde segunda-feira está em alta, com o BCP a subir 1,75% para 0,1683 euros.

O principal índice da bolsa portuguesa, o PSI20, desde segunda-feira com 19 títulos, estava hoje em alta, com o BCP a subir 1,75% para 0,1683 euros.

Cerca das 09:00 em Lisboa, o PSI20 - que desde segunda-feira passou de 17 para 19 títulos -, estava a subir 0,07% para 4.622,74 pontos, com dez 'papéis' a desvalorizarem-se, sete a subirem e dois inalterados.

Além das ações do BCP, as da Sonae Capital e Caixa Económica Montepio Geral também estavam a subir, designadamente 1,04% para 0,778 euros, 0,93% para 0,432 euros.

Em sentido contrário, os 'papéis' da Novabase e da Pharol lideravam as perdas, estando a descer 1,63% para 2,95 euros e 1,34% para 0,367 euros.

A empresa de restauração Ibersol e a tecnológica Novabase passaram a negociar na segunda-feira no índice de referência da bolsa portuguesa, o PSI20, que passou a contar com 19 empresas.

O regresso das duas empresas à 'primeira liga' da bolsa portuguesa foi decidido pela Euronext Lisboa, no âmbito da revisão anual do índice, e é positivo na opinião generalizada dos analistas contactados pela agência Lusa tanto para os dois títulos como para o principal índice da praça lisboeta, que ganha diversificação setorial.

Desde 10 de fevereiro que o PSI20 integrava apenas 17 empresas, depois da saída do BPI, que na sequência da oferta pública de aquisição (OPA) deixou de cumprir o requisito do capital disperso em bolsa, com o controlo de 84% pelo Caixabank.

O PSI20 está sem as 20 cotadas desde o verão de 2014, altura em que saíram o BES e o ESFG - Espirito Santo Financial Group.

As duas empresas juntam-se assim à Altri, BCP, Corticeira Amorim, CTT, EDP, EDP Renováveis, Galp, Jerónimo Martins, Montepio, Mota-Engil, Nos, Pharol, REN, Semapa, Sonae, Sonae Capital e The Navigator Company.

Na Europa, as principais bolsas estavam hoje no início da sessão em baixa, à espera de indicadores macroeconómicos, incluindo o Índice de Confiança dos Consumidores preliminar referente a março que será publicado pela Comissão Europeu.

Nos Estados Unidos, os investidores aguardam hoje o discurso da presidente da Reserva Federal (Fed), Janet Yellen, sobre desenvolvimento das comunidades e das finanças para cidadãos de baixos recursos.

O porta-voz do Fundo Monetário Internacional (FMI), Gerry Rice, dá hoje a habitual conferência de imprensa quinzenal sobre a atualidade da instituição financeira.

Em Nova Iorque, a bolsa em Wall Street fechou na quarta-feira quase inalterada, com o Dow Jones a descer, mas apenas 0,03% para 20.661,30 pontos, depois de em 01 de março ter terminado a ganhar para o atual máximo desde que foi criado em 1896, de 21.115,55 pontos.

A nível cambial, o euro abriu em alta no mercado de divisas de Frankfurt, a subir para 1,0800 dólares, contra 1,0799 na quarta-feira.

O barril de petróleo Brent, para entrega em maio, abriu hoje em alta, a cotar-se a 50,93 dólares no Intercontinental Exchange Futures (ICE) de Londres, mais 0,24% do que no encerramento da sessão anterior.