Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Fed sobe os juros como era esperado

A Reserva Federal (Fed), o banco central norte-americano, anunciou a subida das taxas de juro de referência para o intervalo entre 0,75% e 1%. A sua presidente Janet Yellen realizará uma conferência de imprensa dentro de trinta minutos

Jorge Nascimento Rodrigues

Apenas com um voto contra, o do presidente do Banco da Reserva Federal de Minneapolis, o Comité de Política monetária da Reserva Federal (Fed), o banco central norte-americano, decidiu subir as taxas de juro de referência em 25 pontos base (0,25 pontos percentuais) para 0,75% a 1%. O Comité, conhecido pela sigla FOMC (Federal Open Market Committee), é formado por 10 membros, presidido por Janet Yellen.

A subida era esperada pelos analistas financeiros e a probabilidade da decisão estava perto de 100% nos mercados de futuros das taxas de juro.

A expetativa dos membros do comité da Fed continua a apontar para um total de três decisões anuais de subida das taxas de juro em 2017 e 2018. Nas novas projeções, agora publicadas, os membros da Fed apontam para uma taxa de juro em 1,4% no final de 2017, 2,1% em final de 2018 e 3% no final de 2019. As projeções são semelhantes às publicadas em dezembro, apenas com uma revisão em alta, em uma décima, para 2019.

Por seu lado, as probabilidades no mercado de futuros apontam, agora, depois de conhecida a decisão desta quarta-feira, para uma nova subida na reunião de 14 de junho (a probabilidade subiu de 50% para 55,7%), segundo o indicador do monitor do Grupo CME. Para a última reunião de 2017, a probabilidade de uma terceira subida aumentou de 34,9% para 37,2%.

Na perspetiva económica, a Fed manteve a previsão, avançada na reunião de dezembro, de 2,1% na taxa de crescimento em 2017, reviu em alta, em uma décima, a projeção para 2018 (2,1%) e manteve a de 2019 em 1,9%. A economia manterá o ritmo em 2018 e abrandará muito ligeiramente no ano seguinte. A longo prazo, a taxa de crescimento mantém-se na projeção anterior de 1,8%.

As projeções para a taxa de desemprego não sofreram alterações, mantêm-se até 2019 em 4,5% da população ativa. As previsões para a inflação também não sofreram alterações em relação ao apresentado em dezembro: 1,9% em 2017 e 2% nos dois anos seguintes.

A presidente da Fed, a economista Janet Yellen, realizará uma conferência de imprensa na sede do banco central em Washginton pelas 18h30 (hora de Portugal).

A próxima reunião do comité de política monetária da Fed realizar-se-á a 3 de maio.