Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Euro em máximos de um mês

A moeda única europeia já subiu 1,18% esta quarta-feira. O primeiro salto ocorreu depois de conhecida a decisão do banco central dos EUA em subir as taxas de juro e o segundo após divulgadas as previsões de que o populismo não atingiu os seus objetivos nas eleições holandesas

Jorge Nascimento Rodrigues

O euro já subiu esta quarta-feira 1,18% face ao dólar. Abriu, na Ásia, a cotar-se em 1,06127 dólares e atingiu um máximo dos últimos trinta dias subindo para 1,07374 dólares pelas 20 horas (hora de Portugal).

A valorização da moeda única ocorreu em dois momentos do final da tarde na Europa. Subiu 0,6% entre o anúncio pelas 18 horas (hora de Portugal) da decisão da Reserva Federal norte-americana (Fed) em subir as taxas de juro para um intervalo entre 0,75% e 1% e o final da conferência de imprensa realizada em Washington pela presidente da Fed Janet Yellen.

Aumentou, depois, mais 0,4% após serem conhecidas as primeiras previsões dos resultados das eleições legislativas na Holanda que apontam para uma vitória do partido conservador liberal VVD do atual primeiro-ministro Mark Rutte, com uma vantagem de 12 deputados em relação ao principal desafiador, o Partido da Liberdade (PVV) do líder populista Geert Wilders, que terá uma representação parlamentar similar aos cristãos democratas e aos democratas liberais.

As previsões apontam para subidas de 12 deputados para o Partido dos Verdes (que quadriplicou a sua representação), de sete deputados para os democratas liberais do D66 e de seis deputados para os democratas cristãos da CDA em relação aos resultados das eleições de 2012. Apesar de se manter claramente à frente, o partido do atual primeiro-ministro perdeu 10 lugares e o partido populista de Wilders ganhou apenas quatro. O maior derrotado de hoje é o Partido Trabalhista (PvdA), cuja face mais conhecida é o ainda ministro das Finanças Jeroen Dijsselbloem, o atual presidente do Eurogrupo.