Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Soares da Costa não apresenta comprovativo e perde estação do metro do Porto

A Soares da Costa não apresentou a certidão de que tinha a situação com o Fisco e Segurança Social regularizada. A Metro do Porto adjudicou a obra à segunda melhor proposta

A Soares da Costa ganhou a obra, apresentou a caução (11 mil euros) em dinheiro vivo, mas falhou na entrega do comprovativo de que tinha a situação regularizada com o Fisco e Segurança Social. E, por isso, a Metro do Porto adjudicação a estação à superfície de Modivas-Norte, da linha para a Póvoa do Varzim ao segundo classificado, a Expoentinédito, de Vila Nova de Famalicão.

O contrato é de pequeno valor (448 mil euros) numa empreitada que, com todas as especialidades, é de 1,2 milhões de euros. Mas, em época de fome, migalhas são pão. A proposta da Soares da Costa era ligeiramente inferior: 429 mil euros.

A Metro do Porto explica, em comunicado, que a Soares da Costa "não apresentou os documentos necessários" e, seguindo o regulamento do concurso, optou pela "segunda melhor proposta apresentada".

A estação de Modivas Norte é a 82ª da rede do metro do Porto e configura uma espécie de parceria público-privada. Os custos repartem-se, em partes iguais, pela empresas do Metro e pela Neinver, a sociedade dona Style Outlet, de Vila do Conde, servido pela nova paragem. A estação estará a funcionar em junho próximo. A Metro do Porto acredita que recupera o investimento em 12 meses de operação.

A Soares da Costa, atualmente em processo de recuperação aprovado pelos credores, sempre teve uma química especial com o metro do Porto. No fim dos anos 90, a adjudicação da primeira fase do metro revigorou a construtora e concedeu-lhe pujança e liquidez para um novo fôlego empresarial. A estação de Modivas valia pelo simbolismo. Mas, a química da Soares da Costa já nem é o que era.