Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Vendem-se 20 casas de luxo por dia

Lisboa, Cascais e zonas do Algarve como Vilamoura e Albufeira absorvem 50% deste mercado

Sotheby's Portugal

O valor médio de uma propriedade neste segmento situa-se nos €620 mil

Marisa Antunes

Jornalista

Em Portugal, o mercado do imobiliário de luxo valeu no ano passado cerca de 6% do total (120 mil) de casas transacionadas. Um levantamento da Sotheby’s Portugal, empresa especializada neste segmento, a partir de dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), dá conta que em 2016 foram vendidas a nível nacional “7489 propriedades de luxo e alto luxo (a partir dos €400 mil)”, uma média de 20 por dia.

Para Gustavo Soares, CEO da Sotheby’s, o bom momento que se vive em Portugal é para continuar: “Este crescimento global do sector verificado em 2016 manter-se-á, na nossa perspetiva, constante este ano, prevendo-se no mínimo um crescimento entre 15 a 20%”.

Este mercado fortemente dominado pela clientela estrangeira (na Sotheby’s absorvem cerca de 80 a 90% da faturação) poderá registar algumas novidades este ano: “Os bancos estão disponíveis para dar crédito, por isso começam a surgir mais compradores nacionais para este segmento. O outro fator que irá contribuir para o incremento das vendas é a exposição cada vez maior de Portugal no circuito internacional —, e havendo mais turismo, haverá mais atividade imobiliária”.

O preço médio de venda de uma propriedade de luxo neste mercado situa-se nos €620 mil (na Sotheby’s é €762 mil).

Lisboa, a linha de Cascais, Sintra e Algarve (com destaque para Vilamoura, Quinta do Lago e Vale do Lobo) representaram no seu conjunto 50% das transações de luxo realizadas em Portugal.

Os restantes 50% estão dispersos pelo Grande Porto, responsável por 9% das transações, seguido de zonas geograficamente extensas como Alentejo, Madeira e Oeste. O Douro, sublinha a Sotheby’s no seu estudo, “ainda não ganhou a relevância, ao nível do luxo, que seria de esperar de um local absolutamente único e considerado património mundial da UNESCO”.

Tendência diferente verifica-se na Madeira, que entrou recentemente na rota do luxo. A Sotheby’s, que se prepara para abrir uma agência no Funchal, está a apostar neste mercado que está a atrair clientes mais inesperados. “O segmento de luxo também aqui é maioritariamente dominado por estrangeiros. Além dos tradicionais ingleses, há uma comunidade crescente de russos, alguns com uma ligação já longa à Madeira, e também clientes da África do Sul e da Venezuela, essencialmente emigrantes ou seus descendentes, que começam a regressar a Portugal”, sublinhou Gustavo Soares.