Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

ANA vai ter novo presidente e outro modelo de governo

Carlos Lacerda deixa a SAP Portugal para assumir a presidência executiva da ANA no final de março

Alberto Frias

Carlos Lacerda, ex-diretor da SAP Portugal, substitui Ponce de Leão na liderança da empresa que gere os aeroportos nacionais

A ANA – Aeroportos de Portugal vai mudar o modelo de governo, deixando de ter uma estrutura simples, com assembleia-geral, conselho de administração –em que o presidente acumula funções de administrador-delegado – e conselho fiscal, para passar a ter um presidente do conselho de administração não-executivo e um presidente-executivo. O Expresso sabe que este novo modelo estará operacional no final de março, altura em que o atual presidente, Jorge Ponce de Leão, passará a ter apenas funções não-executivas e a ANA contará com um novo gestor, Carlos Lacerda, que assumirá o cargo de presidente-executivo.

Carlos Lacerda, com 55 anos, deixa as funções de diretor-geral da SAP Portugal e de membro da equipa de liderança da SAP para a região da Europa, Médio Oriente e África.

Licenciado em engenharia mecânica pelo Instituto Superior Técnico, Carlos Lacerda tem uma pós-graduação em gestão pelo ISCTE, um programa de alta direção pela AESE-IESE e formação em marketing pela Kellogg School da Northwestern University de Chicago.

Ao contrário de Ponce de Leão, Carlos Lacerda domina bem a língua francesa – o que será um fator de maior proximidade à equipa executiva da Vinci, que controla a ANA – e tem experiência de gestão em grandes grupos internacionais, pois foi diretor-geral da Microsoft Malásia.

Ponce de Leão, com 67 anos, fica nas funções de presidente do conselho de administração da ANA, o que demonstra o compromisso da Vinci de manter uma equipa em Portugal liderada por gestores portugueses. Além de Ponce de Leão e de António Morgado, a atual administração da ANA tem oito gestores francófonos.

Na semana em que o Governo iniciou o processo do novo aeroporto do Montijo – a que o Presidente Marcelo Rebelo de Sousa gostaria de dar o nome do ex-Presidente Mário Soares –, Ponce de Leão denunciou a situação aeroportuária alarmante do controlo de passageiros por poucos elementos do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), além de ter sugerido a existência de cartelização entre um reduzido número de companhias de aviação no aeroporto de Lisboa.