Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Reposição dos feriados custou 89,1 milhões de euros à fileira do metal

“Estamos orgulhosos com 2016”, diz Rafael Campos, na sede da AIMMAP

Rui Duarte Silva

2016 foi o melhor ano de sempre, mas sector quer um “modelo à inglesa” para os feriados

A reposição dos feriados custou €89.127.380 milhões à indústria metalúrgica no ano passado. As contas são da Associação dos Industriais Metalúrgicos, Metalomecânicos e Afins de Portugal (AIMMAP), preocupada com “o impacto negativo da medida”, uma vez que mais feriados significam sempre menos horas de trabalho e “isso tem impacto na produção industrial”, sublinha Rafael Campos, vice-presidente da AIMMAP.

“Em 2016, menos quatro dias de trabalho representaram uma variação negativa no volume de trabalho de 1,72%”, diz o dirigente associativo. E explica as suas contas: “Sabemos que o Valor Acrescentado Bruto (VAB) do sector é de €5,2 mil milhões (com base nos valores de 2014), ou €22,8 milhões por dia útil de trabalho. Assim, obtemos uma projeção de VAB perdido de €89.127.380 milhões”.

Mas, além destes números, Rafael Campos diz ser preciso pensar noutras questões, como o facto de muitos feriados serem a meio da semana, o que significa “fazer as chamadas pontes, aumentando o seu impacto na perda de produtividade das empresas”.

Leia mais na edição deste fim de semana