Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Carlos Tavares acelera compra da Opel pela Peugeot-Citroën

Carlos Tavares conhece bem a indústria automóvel a nível mundial

DR

As negociações que o presidente do Grupo PSA – Peugeot-Citroën tem promovido com vista à compra da Opel deram um novo passo em frente, pelo sucesso das reuniões mantidas com os dirigentes sindicais da IG Metal e da direção industrial da Opel

Carlos Tavares, presidente executivo da PSA - Peugeot-Citroën, lidera a maior operação de aquisição da indústria automóvel europeia. No início desta semana deu mais um passo, pelo sucesso das reuniões com os representantes dos trabalhadores e e dos sindicatos, fundamental para viabilizar a compra da Opel, pertencente ao grupo norte-americano General Motors.

"Carlos Tavares, demonstrou que está interessado em desenvolver a longo prazo a gestão da Opel-Vauxhall como uma companhia independente", afirmou o presidente da Comissão de Trabalhadores Europeia da Opel, Wolfgang Schäfer-Klug, "por isso estamos prontos para explorar as oportunidades de um futuro comum".

Carlos Tavares, acompanhado pelo diretor de recursos humanos do Grupo PSA, Xavier Chéreau, mantiveram, ontem, segunda-feira, uma reunião de trabalho com o representante sindical Jörg Hofman, presidente do influente sindicato industrial alemão IG Metall, e com o presidente da Comissão de Trabalhadores Europeia da Opel.

Carlos Tavares explicou que o objetivo da PSA é "desenvolver o potencial da co-construção", que é um típo de gestão em que a PSA foi precursora na industria automóvel francesa.

O contacto com as estruturas representativas dos trabalhadores e operários da Opel demontra, segundo fontes dos dois grupos, que o processo de aproximação entre a PSA e a Opel está a avançar e que a boa receptividade dos trabalhadores da Opel torna a negociação de aquisição quase irreversível.

As questões de detalhe - como o impacto da compra da Opel pela PSA e a garantia dos empregos - foram abordadas "num clima de confiança e transparência", refere um comunicado emitiro pelos dois grupos. A PSA refere que vai manter uma coorperação estreita com os representantes dos trabalhadores da Opel e com o sindicato IG Metall para "encontrarem um caminho conjunto" para o futuro da Opel-Vauxhall.