Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Estado vai gastar 5,5 milhões em carros elétricos

Tiago Miranda

Portaria do Governo aprovou a despesa, a suportar pelo Fundo Ambiental, para avançar com a integração de 170 veículos elétricos na frota do Estado, a acrescer aos 30 que já foram testados durante uma fase-piloto

Miguel Prado

Miguel Prado

Jornalista

A Administração Pública vai avançar com a aquisição de 170 veículos elétricos em regime de aluguer operacional, com uma despesa associada de 5,5 milhões de euros ao longo dos próximos cinco anos.

Uma portaria publicada esta sexta-feira em “Diário da República” autorizou o Fundo Ambiental (sucessor do Fundo Português de Carbono) a programar a despesa para a primeira fase de implementação da mobilidade elétrica na Administração Pública.

Esta primeira fase prevê que para os 170 carros elétricos a adquirir o Estado tenha um encargo anual em torno de 1,3 milhões de euros entre 2017 e 2020, prevendo-se para 2021 uma despesa de 224 mil euros.

Os novos veículos a integrar na frota do Estado irão substituir automóveis com mais de dez anos e deverão permitir uma poupança em combustível de cerca de 1,3 milhões de euros, segundo os cálculos do Governo.

Os 170 veículos elétricos a adquirir (em regime de aluguer operacional) sucedem a uma fase-piloto, iniciada já no anterior Governo, em que o antigo Fundo Português de Carbono financiou 30 veículos Peugeot iOn, distribuídos por vários organismos dos ministérios das Finanças e do Ambiente.

O objetivo do Estado é, a prazo, dotar-se de uma frota total de 1200 carros elétricos, que deverá custar um montante global de 23 milhões de euros, a pagar pelo Fundo Ambiental.