Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Algarve vai ter 23 novos hotéis

Silves (na foto), Portimão, Lagoa e Loulé estão entre as localidades onde mais projetos serão desenvolvidos

Marcos Borga

13 serão construídos de raiz, os restantes estavam devolutos

A região algarvia tem em carteira 23 novos projetos hoteleiros. Os dados são avançados pela Confidencial Imobiliário, empresa especializada na gestão de dados do sector imobiliário, que passou a pente fino os indicadores relativos à emissão de pré-certificados energéticos realizados pela ADENE — Agência para a Energia, os quais são emitidos numa fase anterior à emissão da licença municipal de construção, indicando assim as intenções de investimento para obras ainda em carteira.

Destes 23 projetos hoteleiros em carteira localizados no Algarve, 13 são resultado de nova construção, enquanto os restantes 10 são respeitantes a obras de reabilitação.

Diz o relatório da Confidencial que “os novos hotéis em pipeline são, na sua maioria, relativos a projetos de três ou menos estrelas, verificando-se que apenas seis unidades das 23 previstas têm quatro ou mais estrelas. Desta última classificação, duas unidades situam-se em Lagos e as restantes quatro distribuem-se por Lagoa, Loulé, Portimão e Silves”.

Em termos de dimensão, destacam-se dois projetos com mais de 5000 m2 (nomeadamente um localizado em Portimão, com cerca de 5600 m2, e outro em Silves, com 5100 m2) e outros dois com cerca de 4000 m2 cada (um em Lagoa e outro em Loulé). A Confidencial Imobiliário dá ainda nota de que, entre estes quatro hotéis de maior dimensão, três resultam de construção nova e têm quatro ou mais estrelas. A outra unidade de dimensão maior diz respeito a uma intervenção de reabilitação, tendo uma classificação de 3 ou menos estrelas.

Há 2100 hotéis 
em todo o país

Recorde-se que só no ano passado foram inaugurados em Portugal 65 estabelecimentos hoteleiros que trouxeram ao mercado cerca de 2800 quartos. Dados incluídos no mais recente Marketbeat Portugal, da consultora Cushman&Wakefield, mostram que a dinâmica orientada para o turismo é para manter e que nos próximos dois anos estão previstas 70 aberturas em todo o país, aumentando a oferta em mais de 5000 quartos.

Entre os principais projetos previstos para os próximos dois anos contam-se o hotel Savoy Palace, no Funchal, que terá 380 quartos, o Meliá Lisboa, com 239 e o Douro Marina Hotel, no Porto, com 180.

A oferta total de estabelecimentos hoteleiros em Portugal — excluindo alojamento local e unidades de residencial turístico — ultrapassa agora os 76 mil quartos distribuídos por mais de 2100 unidades. Em termos de distribuição por categoria, os hotéis de quatro estrelas são predominantes, representando 38%, seguidos dos de três estrelas, que absorvem uma fatia de 31% do total.