Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Taxa de desemprego fecha 2016 nos 10,5%

Valor estimado pelo Instituto Nacional de Estatística para o quarto trimestre fica inalterado em relação aos três meses anteriores. Em termos de média anual, a taxa de desemprego ficou nos 11,1% em 2016

A taxa de desemprego em Portugal ficou nos 10,5% no quarto trimestre de 2016, segundo os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), divulgados esta quarta-feira. Este valor "manteve-se inalterado face ao trimestre anterior e é inferior em 1,7 pontos percentuais ao do trimestre homólogo de 2015", destaca o INE.

Já em termos de média anual, a taxa de desemprego ficou nos 11,1% em 2016, segundo o INE. Um valor que "representa uma diminuição de 1,3 pontos percentuais em relação a 2015". Mais ainda, este número é inferior à previsão do Governo de 11,2%, que tinha sido inscrita em Outubro no Orçamento do Estado para 2017. No início do ano, no Orçamento do Estado para 2016, o Executivo de António Costa apontava para uma taxa de desemprego em 2016 de 11,3%. O número final apurado pelo INE acabou por ser inferior.

Quanto à taxa de desemprego dos jovens (dos 15 anos aos 24 anos) situou-se em 28% em termos médios anuais em 2016, um valor 4 pontos percentuais abaixo do ano anterior.

A população desempregada foi estimada pelo INE em 543,2 mil pessoas no quarto trimestre, o que traduz uma diminuição de 1,2% face aos três anteriores (menos 6,3 mil pessoas) e uma redução de 14,3% em termos homólogos, isto é, em relação ao quarto trimestre de 2015 (menos 90,7 mil pessoas).

Já a população empregada foi estimada em 4643,6 mil pessoas no quarto trimestre de 2016, registando um decréscimo de 0,4% em relação aos três meses anteriores (menos 17,9 mil pessoas) e um aumento de 1,8% em termos homólogos (mais 82,1 mil empregos em termos líquidos).

Considerando de novo os valores médios anuais, a população desempregada foi estimada pelo INE em 573 mil pessoas em 2016, menos 11,4% do que no ano anterior (menos 73,5 mil pessoas).

Destaque para o desemprego de longa duração, que continua muito elevado. Em 2016, em termos médios anuais, a proporção de desempregados à procura de emprego há pelo menos 12 meses foi de 62,1%. Mesmo assim, este valor diminuiu 1,5 pontos percentuais em relação a 2015.

Nestas estimativas, o INE considerou a população a partir dos 15 anos e apurou valores não ajustados de sazonalidade.