Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

REN conclui compra de participação em gasoduto no Chile

Rodrigo Costa é o presidente executivo da REN.

Jose Ventura

A empresa portuguesa desembolsa 167 milhões de euros para ficar com 42,5% da empresa chilena Electrogas, num dos seus primeiros grandes negócios internacionais

Miguel Prado

Miguel Prado

Jornalista

A REN – Redes Energéticas Nacionais concluiu a compra de uma participação de 42,5% no capital social da chilena Electrogas à empresa Enel Generación Chile, pelo preço de 180 milhões de dólares, o equivalente a 167 milhões de euros ao câmbio atual.

A Electrogas tem 165,6 quilómetros de gasodutos em operação no Chile, ligando o terminal de regaseificação de Quintero/Valparaiso, localizado num dos portos marítimos mais importantes do Chile, à capital Santiago. Através deste gasoduto, o gás natural é entregue a diversas centrais de produção de eletricidade, a empresas industriais grandes consumidoras, bem como a distribuidoras de gás natural, explica a REN em comunicado.

"A REN cumpre, com esta aquisição, um dos seus objetivos de médio e longo prazo, ao adquirir uma participação relevante num ativo enquadrado num dos setores onde detém ampla experiência, e num país com uma economia estável e competitiva", sublinha a empresa presidida por Rodrigo Costa.

A empresa portuguesa nota ainda que para a concretização do negócio foi "determinante" a sua experiência no mercado nacional de gás natural e os níveis de eficiência e qualidade de serviço que alcançou na sua operação em Portugal.

"A escolha desta oportunidade enquadrou-se dentro dos critérios de disciplina financeira da REN, por forma a garantir não só uma rentabilidade sustentável, como a manutenção das métricas de crédito estáveis", acrescenta a REN.