Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

BCP afunda 12% em Bolsa a dois dias de estreia das novas ações

Nuno Fox

As ações do BCP afundaram 12,1% esta terça-feira e anularam os ganhos registados desde o fim da negociação dos direitos ao aumento de capital do banco. A descida pode estar ligada à estreia em Bolsa das novas ações do BCP, no dia 9 de fevereiro, segundo analistas

As ações do Millennium bcp afundaram 12,1% esta terça-feira, a dois dias da estreia em Bolsa das novas ações relativas ao aumento de capital do banco.

A queda de hoje anula os ganhos que o título registou desde que deixaram de negociar em Bolsa os direitos de subscrição ao aumento de capital do banco.

As ações do BCP fecharam a cair 9,46% para 0,157 euros. O índice Stoxx Europe 600 para a banca caiu 0,8%.

"Daqui a dois dias começam a negociar as novas ações do banco e há entidades que podem estar a deixar vender 'curto', (vender a descoberto) na ideia de que daqui a dois dias chegam as novas ações", explica a equipa de análise do BiG.

Para João Queiroz, diretor de negociação do Banco Carregosa, "a queda da cotação (do BCP), desde a tarde da sessão de ontem, está relacionada com o possível ajuste de carteiras de clientes que podem estar a vender as ações antigas".

"A partir de quinta-feira, 9 de Fevereiro próximo, o mercado passa a registar uma maior oferta de títulos representativos do capital do BCP. Diluídos os efeitos do aumento de capital, os investidores tendem a orientar-se mais pelos fundamentais, como devolução dos Coco’s (obrigações convertíveis subscritas pelo Estado), e pelo facto de existir uma melhor estrutura de capitais", explica.

Ontem, o BCP foi o único título em Lisboa a encerrar positivo, a subir 3,28%, após ter anunciado que o aumento de capital foi totalmente subscrito e que vai reembolsar os 700 milhões de euros restantes de ajuda pública.

Desde o início de 2017, as ações do BCP perdem 17% enquanto o índice Stoxx Europe 600 para a banca soma 1,3%.

(Atualizada às 18H15)