Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Instituições internacionais “não compreenderam política económica do Governo”, diz Centeno

JOÃO RELVAS / Lusa

Na apresentação do relatório da OCDE sobre Portugal, que decorre em Lisboa, o ministro das Finanças voltou a garantir défice abaixo de 2,3%

O ministro das Finanças aproveitou a conferência de apresentação do Economic Survey da OCDE para Portugal para destacar, uma vez mais, a consolidação das contas públicas em 2016.

Na abertura da sessão, ainda antes da apresentação do documento pelo secretário geral da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), Centeno voltou a sublinhar os resultados orçamentais como um dos sucessos do Governo, garantindo que o "o défice de 2016 ficará claramente abaixo dos 2,3% e o saldo primário acima dos 2%". O ministro acusou ainda as instituições internacionais, não por falharem as previsões, mas por "não compreenderem a política económica do Governo".

Mário Centeno destacou ainda o "alinhamento entre as duas áreas eleitas pela OCDE (investimento e qualificações) e o Programa Nacional de Reformas" português. "A OCDE não impõe soluções", lembrou o ministro das Finanças, que sublinhou o carácter independente do relatório, com o qual não "concorda com todos os seus elementos".