Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Aumento de capital no BCP: procura superou a oferta em mais de 20%

Acionistas de referência acompanharam aumento de capital de €1,33 mil milhões. A Fosun fica com 23,5% do capital do banco,a Sonangol com 15%, a EDP com 2,1% e a Interoceâncio com 1,7% . Núcleo duro fica com 42% do capital do BCP

O banco presidido por Nuno Amado conseguiu colocar no mercado €1,33 mil milhões tendo a procura superado a oferta em mais de 20%. O que quer dizer que não foi preciso a tomada firme da operação pelo consórcio de bancos que apoiavam este aumento de capital.

No comunicado enviado pelo BCP à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) no exercício dos direitos de subscrição foram subscritas 98,4% do total das ações a emitir no âmbito do aumento de capital (14.169.365.580 ações ordinárias). Tendo o restante ficado para rateio.

O preço de subscrição das ações foi de 9,4 cêntimos, e segundo o balanço do banco a procura para rateio foi 14 vezes superior ao número de ações disponíveis.

Este aumento de capital robusto vai servir para pagar o que resta da ajuda de Estado contratada pelo BCP em 2012, devendo o banco amortizar os €700 milhões que faltam até meados de fevereiro.

Recorde-se que o BCP pediu €3000 milhões de empréstimo ao Estado, os chamados CoCos (obrigações contingentes) e já falta pouco para os devolver na integra. Entre juros e comissões, incluindo os CoCos e apoios do Estado, o BCP já pagou €1000 milhões ao Estado.

O núcleo de acionistas de referência acompanhou a operação e o mais recente acionistas, a Fosun ficou com 23,5% mantendo-se como o maior acionista do BCP. A petrolífera angolana Sonangol, segunda maior acionista fica com 15% do capital, a EDP com 2,1% e a Interocênico com 1,7%.

Quer a Fosun quer a Sonangol têm autorização do BCE para chegar aos 30% do BCP.