Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Mau começo de ano para Bolsa e juros

O índice PSI-20 perdeu 5,47% no primeiro mês de 2017. Os juros da dívida soberana portuguesa a 10 anos registaram a maior subida mensal desde meados de 2015 e estão próximos de 4,2%.

A Bolsa portuguesa fechou o primeiro mês de 2017 com perdas e os juros da dívida soberana portuguesa registaram a maior subida mensal desde meados de 2015, situando-se próximos dos 4,2%.

Em janeiro, o índice PSI-20 desvalorizou 5,47% enquanto o índice europeu Stoxx Europe 600 perdeu 0,4%.

A percepção de risco em relação a Portugal aumentou nos mercados. O agravamento dos juros da dívida coloca os investidores numa posição cautelosa em geral em relação ao país.

Riscos políticos externos, receios de menor apoio por parte do Banco Central Europeu e elevado nível de dívida do país, a par de um crescimento económico nacional tímido, colocam Portugal numa situação mais vulnerável, segundo analistas.

Os juros da dívida soberana a 10 anos recuaram ligeiramente esta terça-feira para se fixarem em 4,191%, o nível a que estavam no início de 2014. E subiram 45 pontos base em janeiro, a maior subida desde meados de 2015.

Também os juros da dívida francesa e italiana registaram a maior subida mensal desde meados de 2015, segundo a Thomson Reuters, devido a receios sobre aumento do risco político, subida da inflação e maior crescimento económico.

Dados divulgados esta terça-feira indicaram uma inflação na zona euro (1,8%) em termos homólogos, em janeiro, próximo da meta do Banco Central Europeu. O crescimento económico acelerou a um ritmo mais forte do que nos Estados Unidos. E o desemprego desceu ao mínimo dos últimos sete anos.

Teme-se que, com uma melhoria dos indicadores, o Banco Central Europeu possa começar a recuar do seu programa de compra de ativos, que tem ajudado a conter os custos de financiamento de países, como Portugal.

Trump é real

Nos mercados, começa-se a corrigir o entusiasmo inicial em torno do impacto positivo das medidas que poderão ser implementadas pelo novo presidente dos EUA, Donald Trump.

A recente medida anti-refugiados veio trazer cautela. Nos EUA, há ainda a somar resultados de empresas abaixo do previsto, o que leva Wall Street a sofrer perdas esta terça-feira. O Dow Jones perde 0,88% e o S&P 500 0,5%. O dólar registou em janeiro a maior descida em mais de uma década.

O brent acabou por subir hoje, também apoiado num corte de produção pela Organização dos Países Exportadores de Petróleo.

Em Lisboa, o PSI-20 subiu 0,14% esta sessão. Destaque para as ações do BCP que valorizaram 6,98%, no primeiro dia em que deixaram de negociar em Bolsa os direitos de subscrição ao aumento de capital do banco.

Os CTT desceram 0,33% para 5,154 euros depois de ontem terem afundado 14% o que levou o regulador a proibir a aposta na queda das ações na sessão de hoje.