Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Ações dos CTT afundam após revisão baixa de receitas

Uma revisão em baixa da estimativa de receitas dos CTT relativas a 2016 estão a penalizar fortemente as ações. Os Correios estão a perder mais de 10%, um mínimo histórico

Os CTT arrancam a semana a registar uma forte perda em bolsa. As ações estavam desvalorizar 10,35% para 5,39 euros, a meio da manhã, mas já estiveram a valer 5,18 euros, um mínimo histórico, ou seja, o valor mais baixo desde que os CTT se estrearam em bolsa.

A arrastar os Correios para terreno negativo está o facto de a empresa ter revisto em baixa a estimativa das receitas e EBITDA (meios operacionais libertos) para 2016. Está estimado pelos CTT uma redução de 4,2% nas receitas do quarto trimestre de 2016, o que implicará uma redução de 4% a 5% nos EBITDA. Não obstante, a administração liderada por Francisco Lacerda já veio dizer que deverá propor um dividendo relativo às contas de 2016 no valor de 48 cêntimos, um crescimento de 2,1% face 2015. Lacerda mantém assim a tradição nos CCT de uma política de dívidendos altos.

É a segunda revisão em baixa dos resultados de 2016 dos CTT feita pela administração da empresa, facto sublinhado pelos analistas, que classificam de decepcionante o desempenho dos Correios ao nível das receitas, que estão a recuar mais do que o previsto.

A Haitong estima que o EBITDA dos CTT recue cerca de 6% a 7%. O JP Morgan cortou a avaliação dos CTT em mais de 30%, estabelecendo o banco um preço alvo de 6,05 euros.