Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Governo estuda incentivos para atrair estudantes para as colheitas

Vêm aí isenções de IRC para empresas agrícolas, de IRS para jovens que queiram trabalhar nas férias e nenhum agravamento para o imposto dos pais

‘Se tens mais de 16 anos, és estudante, tens gosto pela vida ao ar livre e queres ganhar algum dinheiro, podes vir a ser um dos próximos trabalhadores da agricultura’. Este bem podia ser o slogan de uma campanha lançada pelos patrões da lavoura e pelo Governo, que estão a preparar o terreno para que seja legal e atrativo ter jovens estudantes — em férias — a desempenharem certas tarefas que mais ninguém quer fazer. No fundo, está em curso uma alteração ao Código do Trabalho, ao Código Contributivo e ao Código do IRS.

A discussão do assunto já dura há seis meses e tudo indica, segundo fontes ligadas ao processo, que em fevereiro as alterações possam finalmente ser aprovadas pelo Governo, de forma a entrarem de imediato em vigor. O objetivo é que na próxima época de colheitas tanto os empresários agrícolas como os jovens estudantes que assim entenderem possam aderir ao novo regime de trabalho (sazonal).

O que se passa é que o sector agrícola debate-se desde há muitos anos com um problema de base que não para de se agravar: a falta de mão de obra, sobretudo para a época da apanha da fruta, que em grande parte coincide com o verão. Ou seja, com as férias escolares.

Leia mais na edição deste fim de semana