Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Banco central chinês prepara lançamento de moeda virtual

KAREN BLEIER / AFP / Getty Images

A bitcoin chinesa será a primeira apoiada por um banco central de um país, neste caso o Banco do Povo da Chinal, que considera que uma divisa virtual aumentará a transparência das transações (contra a lavagem de dinheiro e evasão fiscal) e baixará os custos de circulação

O Banco do Povo da China está a ultimar o lançamento da sua própria moeda virtual, que será a primeira do mundo apoiada por um banco central, revela a revista de informação económica "Caixin".

As autoridades monetárias chinesas completaram em dezembro um ensaio com a divisa, similar à bitcoin, que contou com a participação dos principais bancos estatais, como o ICBC e o Banco da China, revela esta quinta-feira a publicação, que cita fontes do banco.

O projeto foi orientado pelo gigante chinês da Internet Tencent.

A moeda virtual utilizará a mesma tecnologia que a bitcoin, as "cadeias de bloqueio" (blockchain, em inglês), para registar as transações financeiras de forma segura, escreve a "Caixin". A bitcoin é uma divisa virtual que não está regulada por nenhum banco central.

O banco central chinês criou, em 2014, uma equipa para analisar a possibilidade de criar uma moeda virtual e, em janeiro de 2016, anunciou publicamente o projeto. Segundo a "Caixin", o banco central considera que uma divisa virtual aumentará a transparência das transações, o que ajudará a combater a lavagem de dinheiro e evasão fiscal, ou baixar os custos de circulação.

O valor da bitcoin afundou na China em meados de janeiro, depois de o banco central lançar uma investigação sob as empresas que faziam o câmbio da moeda. A bitcoin chegou a cair 40%, no espaço de uma semana, tendo depois recuperado parcialmente.

O valor de uma unidade daquela moeda digital criptográfica vale hoje 6470 yuan (878 euros) na plataforma Huobi, umas das que está sob uma investigação.