Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Rolls-Royce paga €760 milhões por envolvimento em escândalo de corrupção

Paul Ellis / Reuters

Em causa estão alegados subornos para garantir contratos em vários países, segundo uma investigação jornalística liderada pelo “The Guardian“ e pela BBC

A Rolls-Royce vai pagar 671 milhões de libras (760 milhões de euros) para evitar processos judiciais no âmbito de um escândalo de corrupção que envolve o alegado pagamento de subornos para garantir contratos em condições favoráveis em alguns países.

De acordo com o jornal "The Guardian", o acordo alcançado pela multinacional britânica significa que pagará esta verba para evitar processos por alegados subornos no Reino Unido, Brasil e EUA, mas a acusação de quadros da empresa continua a ser uma possibilidade em cima da mesa no âmbito desta investigação, iniciada há cinco anos.

Já em 2016, uma investigação jornalística do "The Guardian" e da BBC identificou 12 países (Angola, Azerbeijão, Brasl, India, China, Indonésia, Irão, Iraque, Casaquistão, Nigéria, Arábia Saudita e África do Sul) onde a multinacional tinha agentes comerciais ou consultores externos para, alegadamente, a ajudarem a obter contratos valiosos.

A empresa, que produz automóveis, turbinas e motores para aviões, nunca admitiu qualquer responsabilidade no esquema de corrupção sob investigação e anunciou que estes acordos "eram voluntários" e respeitantes a um processo que envolvia a atuação de "intermediários em mercados emergentes", sublinha o "The Guardian".

Numa primeira reação, ativistas anticorrupção citados pelo jornal ingês dizem que o acordo mostra que o Governo britânico não tem uma atuação forte contra a corrupção, apesar "de anos de retórica a prometer o combatê-la". A organização Corruption Watch, que tem denunciado escândalos de corrupção e abuso de poder em diferentes países, considera que este acordo é a prova de que "o Reino Unido não tem vontade de processar uma empresa grande e politicamente influente no país".