Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Portugal paga mais de 4,2% por €3 mil milhões

Através de uma operação sindicada realizada esta quarta-feira, o IGCP pagou um spread de 352 pontos base, o segundo mais elevado nos últimos sete anos em dívida a 10 anos

Jorge Nascimento Rodrigues

O Tesouro português pagou esta quarta-feira 4,227% na colocação sindicada de 3 mil milhões de euros numa nova linha de Obrigações do Tesouro (OT) a 10 anos. Vencendo em abril de 2027, com um cupão de 4,125%, a Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública (IGCP) pagou um spread de 352 pontos base (o equivalente a 3,52 pontos percentuais) em relação ao mid-swap. Em relação à referência alemã, as obrigações alemãs a 10 anos, o diferencial foi de 389 pontos base.

O spread verificado na operação desta quarta-feira é o segundo mais elevado desde o início 2010. Na operação sindicada de maio de 2013, imediatamente antes do fim do programa de resgate a Portugal, o IGCP havia pago um spread de 400 pontos base em relação ao mid-swap no lançamento da nova linha de OT com vencimento em 2024.

Segundo a Boersen-Zeitung, a procura teria atingido 8,5 mil milhões de euros.

Em relação às operações de sindicação de janeiro de 2015 e 2016, aquando do lançamento das novas linhas a 10 anos vencendo em outubro de 2025 e julho de 2026, o IGCP pagou, agora, mais de 1 ponto percentual. Em janeiro de 2015, pagou 2,92% e, no ano seguinte, a taxa subiu para 2,973%.

Em termos de juros reais, as comparações são distintas. Em 2015 registava-se deflação em Portugal, pelo que o juro real era superior ao nominal.

A taxa paga na operação foi superior à yield registada no mercado secundário para a linha de OT que vence em julho de 2026 (e que tem servido de referência), que abriu esta quarta-feira em 4,08% e foi descendo ao longo da sessão da manhã e início da tarde até 3,93%.