Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Sindicato aconselha prudência na venda de ações do BCP junto dos clientes

O Sindicato dos Bancários do Centro alerta os trabalhadores do BCP para serem prudentes na venda de ações do banco junto dos clientes, no âmbito do anunciado aumento de capital de €1,3 mil milhões

O BCP anunciou um aumento de capital de €1,3 mil milhões a subscrever entre 19 de janeiro e 2 de fevereiro. O reforço de capital foi aprovado pelo conselho de administração do banco liderado por Nuno Amado e destina-se a pagar o empréstimo de €700 milhões, os chamados CoCos, ao Estado. E desta forma reforçar também os rácios de capital.

O Sindicato dos Bancários do Centro em comunicado enviado aos trabalhadores do banco, a que o Expresso teve acesso, diz estar "preocupado com o esforço que venha a ser exigido aos trabalhadores bancários" do BCP.

Refere mesmo, em jeito de alerta, que "a decisão de investimento deve ser da inteira e exclusiva responsabilidade dos clientes, cabendo aos trabalhadores bancários a explicação da operação, nunca devendo influenciar a decisão".

Uma comunicação que, tendo em conta o que se passou no banco em anteriores aumentos de capital, nomeadamente no inicio dos anos 2000, é um aviso à navegação.

O sindicato diz ainda que "está confiante no sucesso da operação de aumento de capital e consequente consolidação da estabilidade do BCP".

No comunicado, recorda que os trabalhadores do banco "já deram um forte e importante contributo no reforço de capitais do BCP através da revisão do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) assinada em dezembro e que permitirá uma substancial redução de capital para provisionamento do fundo de pensões e assim uma menor pressão sobre o capital da instituição".