Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Aumento de capital castiga BCP em bolsa

As ações do BCP afundaram em bolsa, com uma desvalorização a rondar os 9%, em reação ao aumento de capital de €1,33 mil milhões. Fosun terá de investir €400 milhões

As ações do BCP estão a reagir negativamente ao aumento de capital anunciado na segunda-feira, no montante de 1,33 mil milhões de euros. Serão emitidos 14 mil milhões de direitos, a subscrever por 9,4 cêntimos por título.

Durante a manhã as ações têm estado a cair à volta de 9%. Os analistas desvalorizam a descida, sublinhando que se trata de uma natural reação à enorme emissão de títulos, o que obrigará os acionistas a um forte investimento caso queiram acompanhar o aumento de capital.

A Fosun terá de investir cerca de 400 milhões de euros, caso queira, como está previsto, reforçar a sua posição de 16,67% para 30%. Desconhece-se se a Sonangol, a segunda maior acionista do BCP, irá acompanhar o aumento de capital.

Um dos objetivos do aumento de capital é pagar as obrigações convertíveis (Coco´s), no montante de 700 milhões de euros. Ou seja devolver os últimos 700 milhões de euros de ajuda estatal. O reforço de capital servirá também para dar maior folga de liquidez ao banco, cujo rácio de solvabilidade passará assim de 9,5% para 11,4%.

Desde a entrada da troika em Portugal, em 2011, o reforço do capital do BCP rondou já os 4,5 mil milhões de euros.