Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Sócrates diz que Campos e Cunha é que queria demitir a administração da Caixa

© Hugo Correia / Reuters

Antigo primeiro-ministro desmente declarações de Campos e Cunha, que disse no Parlamento que Sócrates queria demitir a administração da CGD

Rui Gustavo

Rui Gustavo

Editor de Sociedade

Jose Sócrates desmente formalmente Campos e Cunha num comunicado enviado por escrito às redações. O ex-primeiro-ministro diz que as declarações do antigo ministro das Finanças do seu Governo são "falsas e sem nenhuma correspondência com a verdade". Campos e Cunha tinha dito na Assembleia da República que Sócrates fez pressão para afastar a administração da Caixa Geral de Depósitos presidida por Vítor Martins e na qual estava integrado Carlos Costa, atual governador do Banco de Portugal.

"Esclareço que nunca fiz qualquer pressão para demitir a administração daquele banco", diz José Sócrates. "Esclareço ainda que a vontade de substituir a referida administração sempre me foi manifestada pelo então Ministro das Finanças, que ao contrário do que agora é afirmado, na altura considerava que não estava à altura da missão do banco", diz o comunicado de Sócrates, referindo-se a Campos e Cunha.

Os dois foram colegas de Governo e Sócrates diz agora que "quanto às razões da sua exoneração do cargo de Ministro das Finanças, eu e todo o Governo da altura as conhecemos".Campos e Cunha, que foi ministro das Finanças do Governo de Sócrates durante quatro meses, disse no parlamento que "desde o início, como ministro, fui pressionado pelo primeiro-ministro para demitir o presidente e a administração da CGD".