Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Ações europeias arrancam ano em máximos

Na primeira sessão do novo ano, as ações europeias arrancam 2017 em máximos de mais de um ano. O índice português PSI-20 sobe e os juros da dívida soberana portuguesa estão em mínimos de quatro semanas. Muitos investidores estão ausentes e as principais bolsas mundiais estão encerradas

As ações europeias tocaram em máximos de mais de um ano, na primeira sessão de 2017, suportadas em indicadores económicos positivos na zona euro.

O índice de gestores de compras para a indústria na zona euro fixou-se em 54,9 em dezembro, registando a subida mais forte em cinco anos.

As principais praças mundiais, incluindo Londres e as bolsas nos Estados Unidos, estão encerradas devido à comemoração da entrada no novo ano e muitos investidores estão ausentes.

O índice STOXX Europe 50 subiu ao máximo desde dezembro de 2015 e Frankfurt e Paris também subiram a máximos de mais de um ano.

A bolsa portuguesa segue positiva na primeira sessão de 2017 e os juros da dívida soberana estão em mínimos de quatro semanas.

O ano de 2016 foi negativo tanto para a bolsa portuguesa, com o PSI-20 a perder 12%, como para os juros da dívida soberana do país, que tiveram uma performance negativa.

O PSI-20 sobe 0,6% para os 4.709,50 pontos (11H30). Entre os pesos-pesados da bolsa, o Millennium bcp lidera nas subidas, com um ganho de 1,8% para 1,0905 euros enquanto a Galp Energia é que mais desce, perdendo 0,15% para 14,17 euros.

A liquidez é fraca dada a ausência de muitos investidores. Negociaram-se 4,3 milhões de ações ou 8,7 milhões de euros.

O maior apetite por risco beneficia hoje as obrigações soberanas da periferia europeia. Os juros da dívida soberana portuguesa a 10 anos estão em queda esta segunda-feira e recuaram mesmo ao mínimo de quase quatro semanas nos 3,715%, a descer oito pontos base, segundo dados da Thomson Reuters.

Também os juros da dívida soberana italiana a 10 anos recuaram para mínimos de várias semanas.

O euro recua para 1,053 dólares.