Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Capitalização da Caixa feita a 4 de janeiro

Primeira fase de recapitalização do banco público só será feita na primeira semana do ano

A primeira fase da capitalização da Caixa Geral de Depósitos será feita apenas no dia 4 de janeiro. Em causa está a conversão de €960 milhões, os chamados CoCos, em capital e, ainda, a entrada da Parcaixa para o balanço do banco público, o que permitirá um encaixe de €500 milhões. Estas operações contabilísticas, que fazem parte do plano de recapitalização de €5,16 mil milhões, serviriam para dar algum conforto aos rácios de capital da Caixa. O Expresso apurou contudo que os rácios da Caixa não estão em causa até porque o registo das imparidades extraordinárias detetadas pela administração demissionária de António Domingues só deve acontecer no mesmo momento do aumento de capital. Tudo para que a Caixa continue sempre a cumprir os rácios a que é obrigada pelo BCE.

Assim, será Paulo Macedo, o próximo presidente da Caixa, a decidir o registo das imparidades e a concretizar as várias fazes do aumento de capital. Na base desta mudança estará o receio de que a conversão dos CoCos em capital possa afetar o défice de 2016. Este atraso, como já referiu a Comissão Europeia, em nada compromete a viabilidade dada ao plano por Bruxelas no verão. Isto porque “não há um prazo de validade específico do mesmo”. Aliás, recorde-se que, inicialmente, estava previsto que a conversão dos CoCos fosse feita em simultâneo com a injeção de dinheiro fresco até €2,7 mil milhões, assim como a colocação de €500 milhões de dívida (dos €1000 milhões programados) em investidores privados.