Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Depósitos bancários das famílias voltam a cair

getty

Em novembro os particulares tinham 142,2 mil milhões de euros depositados nos bancos em Portugal, dos quais 42,8 mil milhões de euros em contas à ordem, segundo o Banco Central Europeu

Miguel Prado

Miguel Prado

Jornalista

Os depósitos das famílias nos bancos portugueses em novembro somavam 142,2 mil milhões de euros, abaixo dos 143 mil milhões verificados em outubro, segundo as estatísticas do Banco Central Europeu (BCE). Desde agosto que os depósitos estão em queda.

Daquele total, 42,8 mil milhões de euros estavam em contas à ordem (face a 42,6 mil milhões em outubro), enquanto o restante estava aplicado em depósitos a prazo com diferentes maturidades. A maior parte, 64 mil milhões de euros, estava em depósitos até dois anos. E mais de 35 mil milhões de euros estavam depositados em produtos com maturidade superior a dois anos.

Segundo os números mais recentes do BCE, também os empréstimos dos bancos às famílias em Portugal tiveram um ligeiro recuo, passando de 118,5 mil milhões de euros em outubro para 118,4 mil milhões em novembro. A maior fatia foi crédito para a compra de casa, que baixou de 95,7 para 95,5 mil milhões. O crédito ao consumo permaneceu inalterado, em 13,9 mil milhões de euros.

De acordo com o BCE, na Zona Euro a concessão total de crédito teve em novembro um crescimento de 4,4% em termos homólogos, acima dos 4,2% de crescimento verificados em outubro.

Já o volume de depósitos das famílias na Zona Euro teve um ligeiro acréscimo em novembro, ascendendo a 6,03 biliões de euros, dos quais 3,38 biliões em contas à ordem e o restante em depósitos a prazo.