Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Greves nos aeroportos serão decididas esta segunda-feira

José Caria

Os trabalhadores de assistência em terra vão decidir esta segunda-feira, em plenário, o que farão em relação à greve convocada até ao final do ano

Tudo está em aberto nas greves agendadas até ao fim do ano para os aeroportos e a decisão será tomada esta segunda-feira em plenário de trabalhadores: ou aceitam negociações, ou mantêm as reivindicações, avançando para a greve aeroportuária até 30 de dezembro, que é o período de maior concentração de voos nesta altura do ano. Em causa estão protestos dos trabalhadores do "handling" sobre o licenciamento de operações concorrentes e, também, dos profissionais da segurança, que exigem um novo Contrato Coletivo de Trabalho.

O funcionamento dos aeroportos portugueses só não será afetado pela greve dos trabalhadores de segurança dos aeroportos e de assistência em terra se houver consenso no plenário de trabalhadores que hoje será realizado. A gestora dos aeroportos ANA já alertou para a necessidade dos passageiros com voos marcados até 30 de dezembro chegarem com maior antecedência aos aeroportos. E também foi sugerida a redução das bagagens ao mínimo imprescindível.

Depois das negociações ocorridas na sexta-feira passada, entre o Governo e os responsáveis do Sindicato dos Trabalhadores da Aviação e Aeroportos (Sitava), todas as decisões sobre a concretização da greve serão tomadas hoje no plenário dos trabalhadores do "handling" das empresas Groundforce e Portway

A decisão dos trabalhadores depende da forma como possam avaliar no plenário os compromissos assumidos pelo Governo na reunião de sexta-feira, garantidos pelo secretário de Estado das Infraestruturas, Guilherme d'Oliveira Martins.

Do lado do "handling", os trabalhadores da Groundforce e da Portway criticam o licenciamento da atividade concorrente da Ryanair e da Groundlink, considerando que é ilegal. Por seu turno, as empresas de segurança - designadamente os trabalhadores da Securitas e da Prosegur - exigem à Associação de Empresas de Segurança a assinatura de um novo Contrato Coletivo de Trabalho.

A greve da Prosegur e da Securitas está agendada para 27, 28 e 29 de dezembro. A Groundforce e Portway têm paralizações convocadas para 28, 29 e 30 de dezembro.