Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

“É essencial promover exportação
 de bebidas espirituosas”

Daniel Redondo 39 anos, é o novo presidente da direção da Associação Nacional de Empresas de Bebidas Espirituosas

Catia Mateus

Catia Mateus

Jornalista

Daniel Redondo: “O meu maior desafio foi participar na gestão de uma empresa familiar com três gerações com ideias muito fortes”

Daniel Redondo: “O meu maior desafio foi participar na gestão de uma empresa familiar com três gerações com ideias muito fortes”

Luis Barra

O diretor-geral da J. Carranca Redondo, a empresa nacional que fabrica o Licor Beirão, e administrador da empresa de distribuição Companhia Espirituosa, é o novo presidente da direção da Associação Nacional de Empresas de Bebidas Espirituosas (ANEBE). Daniel Redondo foi eleito para cumprir um mandato que durará até 2018. Entre as suas prioridades estão “unir o sector das bebidas espirituosas no país e promover a sua capacidade exportadora”.

Licenciou-se em Economia pela Universidade de Coimbra e especializou-se mais tarde em Gestão Internacional, mas foi na empresa da família que fez carreira. Na firma que produz o Licor Beirão fez de tudo um pouco até se tornar diretor-geral em 2011. “Comecei com tarefas pontuais a partir dos dez anos, nas férias escolares, mas ao longo do tempo fiz todo o tipo de tarefas na fábrica, desde a rotulagem manual à elaboração de materiais promocionais (réguas e cartazes) que eram produzidos internamente”, recorda. Já adulto, entrou na empresa com funções de apoio à gestão, tornando-se posteriormente gestor da marca Licor Beirão. Em 2003 assume o primeiro cargo de direção da sua carreira, como diretor de Marketing e Vendas da empresa liderando o processo de renovação da marca Licor Beirão. Nove anos mais tarde chega a diretor-geral da empresa.

No novo cargo, Daniel Redondo assume como prioridade “alertar para a rigidez verificada no crescimento de impostos especiais de consumo que tem levado a decréscimos sucessivos da receita por parte do Estado e com elevados danos para o sector em Portugal”. Criada em setembro de 2000, a ANEBE congrega as principais empresas de bebidas espirituosas em Portugal. O combate aos problemas de carácter social relacionados com o consumo excessivo ou inadequado de bebidas alcoólicas, a assessoria à criação de leis e regulamentos aplicáveis ao sector e o apoio às autoridades competentes no sentido de travar a ilegalidade, a fraude e evasão fiscais e a concorrência desleal são os principais objetivos da ANEBE e o principal foco de Daniel Redondo nos próximos dois anos. O novo presidente confirma que foi “a necessidade de unir e fortalecer o sector das bebidas espirituosas em Portugal e fomentar a capacidade exportadora da indústria aproveitando o facto de ser o produto alimentar mais exportado da Europa” a ditar a sua decisão de avançar para a presidência da ANEBE.

Formação

Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra, de 1995 a 2000, licenciatura em Economia

Faculdade de Economia da Universidade do Porto, de 2002 a 2003, pós-graduação em Gestão Internacional 
Instituto de San Telmo, em 2015, curso de Alta Direção da Cadeia Alimentar

Percurso

J. Carranca Redondo, de 1995 a 2000, apoio à gestão

J. Carranca Redondo, de 2000 a 2003, gestor de marca

J. Carranca Redondo, de 2003 a 2011, diretor comercial e de marketing (renovação da marca Licor Beirão)

J. Carranca Redondo, desde 2011, diretor-geral

Companhia Espirituosa, desde 2012, administrador-executivo

Associação Nacional de Empresas de Bebidas Espirituosas, desde dezembro de 2016, presidente da direção

Missão

Unir o sector das bebidas espirituosas em Portugal e promover a sua capacidade exportadora”

Hóbis

Ciclismo 
BTT

Viagens

Ambição de carreira

“Tornar o Licor Beirão uma marca de relevo internacional e transmitir uma empresa mais forte e organizada para a geração seguinte”

Últimas leituras

“Criatividade S.A.”, de Ed Catmull, o CEO da Pixar