Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

JOM. Número três do mercado do mobiliário salta das lojas para a indústria e investe €32,5 milhões

Depois de chegar às 18 lojas, empresa de Guimarães quer fazer os seus móveis, exportar e entrar em novos negócios

A JOM nasceu há 20 anos, com uma loja de móveis em Guimarães. Cresceu, criou uma rede de 18 espaços comerciais especializados na venda de mobiliário no país e, agora, investe cinco milhões de euros na produção própria já a pensar na exportação e em investir mais 27,5 milhões num pacote que inclui mais três lojas, a abrir no próximo ano, mas também, uma dupla aposta no imobiliário e no turismo.

"Vamos continuar a trabalhar com os fornecedores portugueses e a comprar algumas coisas no exterior, para podermos competir pelo preço, mas queremos, também, ter design próprio, modelos nossos. Por isso investimos na marca JOM", explica Duarte Cardoso, diretor da marketing da empresa, que inaugura sexta-feira à tarde a sua unidade industrial e a nova sede do grupo, em Guimarães, com a presença do ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral.

Com um volume de negócios de 40 milhões e 353 trabalhadores, a JOM aposta numa trajetória de crescimento de 10% ao ano e prevê satisfazer internamente 7,5% das vendas com a frente produtiva.

No projeto industrial, a empresa está aberta a trabalhar, também, para clientes externos e, no próximo ano, abre as portas à exportação, a pensar no mercado europeu. Já ter lojas no exteior está, para já, fora dos planos do grupo.

Com a fábrica, são criados 15 postos de trabalho, mas o número deverá aumentar em 2017, com a nova linha de produção.

A "oferta abrangente", do estilo mais moderno e colorido, ao mobiliário rústico, procura "servir clientes de gostos diferentes", e, na fábrica, serão trabalhados 40 tipos de madeira, refere Duarte Cardoso.

Os planos para 2017, contemplam três novas lojas, na Guarda, Vila Real e Porto, cidade onde a JOM vai juntar ao espaço comercial apartamentos turísticos, tudo junto ao Hospital de S. João. Em Sintra, o investimento será num hotel e restaurante. Em Santarém, está prevista a ampliação de um dos três centros logísticos da JOM, que também tem espaços em Aveiro e Guimarães.