Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

CTT vendem antiga sede de Lisboa por 25 milhões de euros

Desconhece-se quem é o comprador. Empresa ainda tem vários ativos para venda, como estações dos correios, mas o edifício sede, que os CTT já tinham deixado há cerca de cinco anos, era o mais relevante e o mais valioso

Ana Baptista

Ana Baptista

Jornalista

Os CTT venderam o edifício da antiga sede, na Rua de São José, em Lisboa, por 25 milhões de euros, anunciou a empresa esta quinta-feira em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

"Os CTT informam que celebraram nesta data um contrato-promessa de compra e venda de imóveis na propriedade da empresa sitos na Rua de São José, em Lisboa (anterior sede dos CTT). (...) Nos termos deste contrato, o preço global devido pela venda dos diversos imóveis corresponde a 25 milhões de euros (o que representa uma mais-valia contabilística de cerca de 16 milhões de euros, com um impacto fiscal de cerca de dois milhões de euros)", pode ler-se no documento.

Contudo, segundo a empresa, a este valor serão descontados 2,5 milhões de euros referentes ao sinal já entregue pelo comprador, cujo nome não foi divulgado. Ou seja, os CTT vão receber 22,5 milhões de euros, mas apenas no momento da escritura, o que deverá acontecer num prazo de 12 meses a contar da data desta quinta-feira.

Os CTT explicam ainda no mesmo comunicado que esta venda "está em linha com a política de alienação de ativos não estratégicos da empresa", mas que esses processos, tal como este agora anunciado, só ocorrem "sempre que estejam reunidas as necessárias condições de mercado".

Neste momento, ainda há vários ativos para venda, como estações dos correios, mas o edifício sede, que os CTT já tinham deixado há cerca de cinco anos, era o mais relevante e o mais valioso. Trata-se de um conjunto de edifícios, não ligados entre si, que se distribuem ao longo da Rua de São José até ao Elevador do Lavra, incluindo dois palacetes com jardins privativos.

Neste momento, os CTT - que estavam espalhados por vários outros edifícios de Lisboa - estão todos juntos no Edifício Báltico, no Parque das Nações, um imóvel que arrendaram por 3,6 milhões de euros à Mota-Engil, que entretanto, em 2013, vendeu o edifício a uma empresa alemã.