Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Eurogrupo suspende alívio da dívida à Grécia, juros disparam

KARL-JOSEF HILDENBRAND / EPA

Um porta voz do Eurogrupo anunciou esta quarta-feira à tarde que não há unanimidade para implementar medidas imediatas de alteração do perfil da dívida helénica. Juros das obrigações helénicas disparam mais de 1 ponto percentual no prazo a 2 anos. A 10 anos regressam acima de 7%. Bolsa de Atenas quebrou mais de 3%

Jorge Nascimento Rodrigues

Um porta voz do presidente do Eurogrupo – o órgão informal de reunião dos ministros das Finanças da zona euro – declarou esta quarta-feira à tarde que “as instituições [designação para a quadriga de credores oficiais e entidades envolvidas na monitorização do resgate, Comissão Europeia, Fundo Monetário Internacional, Banco Central Europeu e Mecanismo Europeu de Estabilidade] consideram que as ações do governo [de Atenas] não estão em linha com o acordado” e que, por isso, é adiada a implementação do plano de medidas imediatas de alívio da dívida grega que havia sido acordadas.

A comunicação de Michel Reijns, o porta voz de Jeroen Dijsselbloem, presidente do Eurogrupo, refere que “alguns países membros [do euro]” acham o mesmo e que “não há unanimidade” para implementar a primeira fase de medidas de alívio da dívida grega que representariam um ganho de 45 mil milhões de euros na gestão da dívida helénica. A apreciação do problema é adiada para janeiro, quando se aguarda um relatório.

As ações de Atenas contestadas reportam a uma decisão do governo em realizar um aumento pontual de 617 milhões de euros para 1,6 milhões de pensionistas nos escalões inferiores, a título de apoio de emergência, e em baixar o IVA para as ilhas do Mar Egeu em que tem havido enorme pressão da vaga de refugiados. A Alemanha requereu esta quarta-feira a verificação se tais medidas eram compatíveis com os compromissos assumidos no terceiro resgate. O primeiro-ministro grego Alexis Tsipras justificou as medidas excecionais com o facto da Grécia ter excedido a meta de 0,5% do PIB para o excedente primário orçamental.

No mercado secundário da dívida soberana, as taxas das obrigações helénicas a 2 anos dispararam 1,3 pontos percentuais, subindo de 6,51% no fecho de terça-feira para 7,8% pelas 17h30 desta quarta-feira. A 10 anos, a subida foi mais moderada, de 30 pontos base (0,3 pontos percentuais), de 6,8% no encerramento do dia anterior para 7,1%, agora.

O índice geral da Bolsa de Atenas fechou com uma quebra de 3,2%.

Tsipras desloca-se a Berlim na sexta-feira para uma reunião com a chanceler Angela Merkel. Para além do futuro de Chipre, das relações com a Turquia e da crise provocada pela vaga de migrantes, o primeiro-ministro helénico leva agora na agenda mais esta suspensão e as divergências manifestas entre o Fundo Monetário Internacional (FMI) e as orientações do Eurogrupo. Duas vozes do FMI, o economista-chefe Maurice Obstfeld e o diretor do Departamento Europeu Poul Thomsen, consideraram as medidas exigidas pelo Eurogrupo à Grécia como irrealistas.