Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Como vai ser o trabalhador de amanhã

Com grande flexibilidade, mais tecnológico e em aprendizagem contínua. É assim que serão os funcionários das gerações vindouras

As novas tecnologias e a globalização têm mudado as atividades e criado postos de trabalho diferentes. Estas alterações acentuar-se-ão cada vez mais à medida que a evolução tecnológica avançar. Não só os funcionários serão diferentes como também as empresas vão sofrer muitas mutações. Do presente e do passado mantém-se a formação, que será cada vez mais importante e essencial para se trabalhar num mundo profissional em constante mudança.

Sofia Tenreiro, um dos 100 selecionados do Círculo da Inovação e diretora-executiva da Cisco Portugal, acredita que estas transformações se apresentam de forma diretamente proporcional tanto para as empresas como para os trabalhadores, e que advêm da “digitalização e do impacto da Internet of Things (IoT) — Internet das Coisas.”

Cada vez mais há características que são essenciais a um trabalhador que queira estar atualizado e que pertença a este mundo novo que se vive. Sofia Tenreiro, habituada a viver no universo das tecnologias, assegura que “já começa a ser exigida uma grande flexibilidade, novas competências digitais, enorme curiosidade e vontade de aprendizagem contínua e capacidade de adaptação às transições.”

Leia mais na edição deste fim de semana