Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

BCE estende programa até dezembro, mas reduz compras a partir de abril

PROGRESSOS, MAS... Draghi aconselha Centeno a resolver crédito malparado e sobreendividamento das empresas

reuters

A equipa de Mario Draghi decidiu prolongar até final do próximo ano o programa de compra de ativos, mas vai reduzir em €20 mil milhões as aquisições mensais a partir de abril. As regras do programa vão, também, ser alteradas. Mario Draghi dará explicações pelas 13h30

Jorge Nascimento Rodrigues

O Banco Central Europeu (BCE) deu uma no cravo e outra na ferradura. A equipa de Mario Draghi decidiu prolongar até final de dezembro de 2017 o programa de compra de ativos que em março poderia terminar. No entanto, a extensão é moderada com uma redução do volume de aquisições de 80 mil milhões de euros para 60 mil milhões a partir de abril.

Se a extensão do programa em nove meses não desaponta os analistas, e vai para além dos seis meses previstos, o emagrecimento em 20 mil milhões de euros por mês a partir de abril é interpretado como uma indicação de "redução" da intervenção de Frankfurt no mercado secundário da dívida, o que poderá sinalizar problemas para a gestão da dívida nas economias do euro sobreendividadas. O volume global da injeção que a extensão de nove meses implica (mais €540 mil milhões) é, no entanto, superior ao que se registaria com um prolongamento de apenas seis meses (mais €480 mil milhões).

No entanto, deixa em aberto a possibilidade de aumentar em volume ou em duração (para além de dezembro de 2017) no caso de uma evolução menos favorável da inflação e de outros indicadores económicos.

A reunião do BCE decidiu, também rever “alguns parâmetros” do programa, que serão explicados na conferência de imprensa de Draghi. Nenhuma mexida foi decidida no quadro de taxas de juro, nomeadamente a taxa diretora de refinanciamento em 0% e a taxa de remuneração dos depósitos dos bancos em -0,4%.

A atenção vira-se, agora, para as explicações que Mario Draghi, o presidente do BCE, prestará na conferência de imprensa que se inicia às 13h30 (hora de Portugal).

  • Em pouco mais de meia hora, Draghi vai revelar as decisões da mais importante reunião deste ano dos banqueiros centrais do euro. Ou desaponta ficando aquém do que os analistas vaticinam, ou dá mais um balão de oxigénio à dívida da zona euro

  • O que está em causa na reunião mais esperada do ano

    O Banco Central Europeu tem esta quinta-feira a última reunião do ano e é das mais importantes. Todos apostam que irá ser estendido o programa de estímulos. Os mercados estão confiantes mas há vários pontos para esclarecer. Perceba o que está em causa e que medidas concretas podem ser anunciadas