Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Paulo Macedo: processo da Caixa é “complexo” e “não vale a pena alimentar nomes ou curiosidades”

Próximo presidente-executivo da CGD diz que se “está a trabalhar” para constituir a equipa diretiva e para desenvolver o plano de recapitalização já aprovado

O homem escolhido pelo Governo para liderar a Caixa Geral de Depósitos, Paulo Macedo, disse hoje que o processo "é complexo", que se "está a trabalhar" e que não vai alimentar nomes ou curiosidades até haver algo concreto.

"É um processo que é complexo, há o objetivo de constituir uma equipa e estamos a fazer isso", disse Paulo Macedo, à margem da Conferência "Corrupção: Combate de todos para todos", que decorre hoje em Lisboa.

Afirmando entender a questão noticiosa, a curiosidade e o interesse, Paulo Macedo disse que "está-se a trabalhar" e "quando houver questões claras, definitivas e concretas comunica-se", como fez o Ministério das Finanças relativamente ao convite a si dirigido, para presidente executivo do banco público, e a Rui Vilar, para presidente do conselho de administração.

"Até lá, não vale a pena estar a alimentar nomes ou curiosidades, etc, porque a Caixa precisa de desenvolver o seu trabalho e de pôr em prática o plano que está aprovado. E é nisso que nos devemos concentrar", disse, sem acrescentar mais informação.

Questionado sobre os elogios que recebeu por funções que já desempenhou, nomeadamente como ministro da Saúde, Paulo Macedo disse: "É sempre positivo ter o trabalho reconhecido, há opiniões positivas, mas também já houve outras que são críticas".