Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Amorim vende controlo da têxtil Gierlings Velpor a suíços

Lantal Textiles AG já tinha acordo de parceria com a têxtil da família Amorim há cinco anos. Grupo Amorim mantém participação de 16%

A Lantal Textiles, da Suíca, chegou a acordo com a família Amorim para assumir uma posição maioritária na têxtil Gierlings-Velpor, um dos principais produtores europeus de veludos e peles sintéticas, anunciou hoje o grupo Amorim, em comunicado.

A informação disponibilizada pelo grupo Amorim não refere números sobre o valor do negócio, mas a sua holding mantém apenas uma percentagem de 16% no capital da empresa.

Fundada em 1808, a Gierlings Velpor pertenceu à família Amorim durante quase 30 anos, trabalha nos segmentos de moda, tecidos técnicos, estofos e transportes, fornecendo, a partir de Santo Tirso, algumas das mais prestigiadas marcas de moda, design e decoração do mundo e integrava o universo da Amorim IP - Investimentos e Participações, que tem vindo a esvaziar-se nos últimos anos.

Atualmente, além desta têxtil, até agora presidida por António Rios Amorim, tal como a Corticeira Amorim, a Amorim IP tem a Quinta Nova Nossa Senhora do Carmo, a OSI - Sistemas Informáticos e Eletrónicos e sociedades de serviços e suporte como a Amorim Viagens e Turismo.

O grupo Amorim e a Lantal Textiles manifestam a convicção de que a operação "trará um valor acrescentado significativo" à Gierlings Velpor e aos seus stakeholders, "devido à perspetiva de forte crescimento esperada para a empresa". As duas empresas consideram o negócio como "um passo crucial" na evolução da têxtil, "no sentido de promover uma maior proximidade com as suas bases de clientes, reforçar a qualidade dos produtos e as suas capacidades de inovação, bem como melhorar a penetração no mercado das novas coleções".

A preceder este acordo, a Lantal e a Gierlings Velpor trabalharam em parceria durante cinco anos, com a empresa de Santo Tirso a fornecer 40% do veludo dos suiços para os mercados ferroviário, elétrico e de autocarros.

Com 118 trabalhadores e vendas de 8,02 milhões de euros em 2015 , mais 5,2% que no ano anterior, a Gierlings Velpor tinha registado prejuízos nos últimos exercícios, mas conseguiu reduzir os resultados negativos de 7,6 milhões de euros em 2014 para 295,1 mil euros em 2015.

A Amorim IP mantém-se como acionista na empresa. com um membro não executivo no Conselho de Administração.

A Lantal, fornecedora de companhias aéreas, fabricantes de fuselagens e de veículos, operadores ferroviários e de autocarros, foi criada em 1886 e apresenta-se como uma "empresa suíça líder na conceção, produção e distribuição de têxteis, peças e serviços para interiores de escritórios, aviões, comboios e autocarros, com forte presença internacional", "focada em sistemas de soluções de alta tecnologia que cumprem os requisitos da indústria de transportes".

No início de novembro, a Amorim International Participations, B.V. e a Investmark Holdings, B.V, duas sociedades de direito holandês detentoras de 15,08% e 18,7% do capital da Corticeira Amorim, respetivamente, lançaram uma oferta particular de venda de 10% da empresa destinada a investidores institucionais e destinada a "contribuir para o reforço do nível de dispersão do capital social da Corticeira Amorim".

Desta forma, duas semanas depois de Américo Amorim deixar a presidência da Galp Energia, cada uma das empresa alienou uma fatia de 5% da sua participação na Corticeira, mas o grupo do empresário manteve um domínio superior a 70%.

A empresa também decidiu vender recentemente uma participação de 25% na norte-americana US Floors.