Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Rui Vilar “ainda a ponderar” se se demite ou se fica na Caixa

Ana Baião

Rui Vilar está a ponderar se se demite ou não de administrador não executivo da Caixa Geral de Depósitos, disse o próprio ao Expresso

Rui Vilar ainda não decidiu se sai ou se se mantém na administração da Caixa Geral de Depósitos, um dia depois de ter sido conhecida a demissão de António Domingues e de mais seis gestores do banco público.

"Estou ainda a ponderar", disse Rui Vilar ao Expresso. Vilar fora convidado por António Domingues para ser administrador não executivo da Caixa, banco, aliás, de que no passado foi presidente.

"Aceitei [na altura o convite para ser administrador não executivo da Caixa] por serviço público. Aceitei aliás na condição de não receber vencimento. Irei pesar as razões antes de decidir". Em causa, pois, o impacto de tal decisão na Caixa, além de razões pessoais depois de tal revoada na equipa.

Entretanto, Rui Vilar já mandou entregar hoje no Tribunal Constitucional as suas declarações de rendimentos e património, confirmou o próprio.

Após várias semanas de polémica, o presidente do conselho de administração da Caixa Geral de Depósitos apresentou a sua demissão, bem como outros seis administradores do banco, conforme comunicado enviado ontem à noite às redações:

"A Caixa Geral de Depósitos, S.A. informa que o Senhor Dr. António Domingues renunciou ao cargo de Presidente do Conselho de Administração. Mais informa que apresentaram igualmente a renúncia aos cargos de vogais do Conselho de Administração os Senhores Dr. Emídio José Bebiano e Moura da Costa Pinheiro, Dr. Henrique Cabral de Noronha e Menezes, Dr. Paulo Jorge Gonçalves Pereira Rodrigues da Silva, Dr. Pedro Lopo de Carvalho Norton de Matos, Dr. Angel Corcóstegui Guraya e Dr. Herbert Walter".