Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Cacia foi escolhida a nível mundial para fabricar a nova caixa de seis velocidades da Renault

Os mais de 100 milhões de euros que a Renault vai investir na fábrica de Cacia receberam apoios da Aicep para lancar um novo produto - a nova caixa de seis velocidades que a Aliança Nissan-Renault utilizará a partir do final de 2018. "É a melhor notícia da semana", diz o primeiro-ministro, António Costa

A Renault anunciou hoje um investimento superior a 100 milhões de euros na fábrica de componentes de Cacia, perto de Aveiro, que permitirá produzir a nova caixa de seis velocidades que o Grupo Renault passará a utilizar no final de 2018.

Para o primeiro ministro, António Costa, que assitiu ao evento, este investimento da Renault em Portugal "é a melhor notícia da semana", dando-lhe, assim, mais importância que a aprovação pela Comissão Europeia do Orçamento de Estado para 2017. Passando aos detalhes, o responsável pela produção da fábrica de Cacia, Juan Pablo Melgosa, explicou ao Expresso que este investimento será feito "durante três anos, de 2017 a 2019", e "recebeu apoios da Aicep que obrigam a fábrica a aumentar o volume de negócios".

No entanto, Juan Melgosa não especificou os apoios concedidos pela Aicep, garantido que "são semelhantes à generalidade dos processos de investimentos formalizados com as autoridades portuguesas". Por outro lado, explicou que o investimento do grupo automóvel francês em Cacia surge na sequência do Acordo de Empresa (AE) que foi firmado com os trabalhadores e que tem validade até 2020.

"Também é a primeira vez que se realiza um AE na fábrica de Cacia, o que permite que os trabalhadores estejam focados no desenvolvimento dos projetos sem terem preocupações sobre a estabilidade laboral na fábrica", refere Juan Melgosa. Esta mesma ideia foi referida pelo primeiro-ministro António Costa, considerando que "não há nada pior para os trabalhadores que a precaridade laboral". Este acordo permite integrar nos quadros da fábrica de Cacia 150 trabalhadores a prazo, aumentando o número de efetivos além dos atuais 1200 trabalhadores, que corresponde ao maior número de trabalhadores que a fábrica teve nums últimos 20 anos.

A estabilidade laboral permitirá renovar a infraestrutura da unidade de Cacia, adaptando-a aos novos padrões de produção das fábricas de automóveis da Aliança Nissan-Renault, que serão desenvolvidos nos modelos que as marcas deste grupo pretendem lançar a partir do final de 2018.

"As caixas de velocidade produzidas na fábrica de Cacia estavam em fim de vida, razão pela qual é tão importante para o futuro desta unidade fazermos um novo investimento, durante os próximos três anos, modernizando o equipamento fabril que produzirá as futuras caixas de velocidades, que serão mantidas em produção nos proximos 15 a 20 anos", explicou Juan Melgosa.

Em 2015 o volume de negócios da fábrica de Cacia foi de 280,6 milhões de euros e para 2016 é previsível, segundo os responsáveis da uniade de Aveiro, que se aproxime dos 300 milhões de euros. Mas as perspetivas para 2018 e 2019 é que o volume de negócios aumente significativamente, pois essa é a condição fixada pela Aicep para conceder os apoios a este investimento.