Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Se tudo correr mal, Trump “acabará em guerras com a China”

Economista Martin Wolf desenha o pior cenário pós-Trump: as guerras comerciais levam a uma recessão severa e “voltamos aos anos 30”

“Se as coisas correrem extremamente mal, ele acabará em guerras com a China, a seguir à guerra comercial que iniciar.” A análise é de Marin Wolf, o economista do Financial Times, que concorda com Paul Krugman, que ontem no The New York Times prenunciou uma recessão mundial depois da vitória de Donald Trump nas eleições norte-americanas.

Antes, Martin Wolf desenhara na Sky News “o pior cenário” com o Presidente Trump, enfatizando o resultado de uma guerra comercial com a China, que foi defendida por Trump durante a campanha eleitoral. O então candidato defendeu também barreiras comerciais com o México e desdenhou o acordo de comércio entre os Estados Unidos e a Europa, que vinha sendo negociado pela administração Obama.

“A economia global entra em recessão severa por causa das guerras comerciais que ele lança. Tudo se vira para dentro”, afirma Wolf. Nesse cenário, diz, “grande parte da dívida do mundo colapsa porque as pessoas perdem a confiança nos fundamentos da economia mundial. E voltamos aos anos 30”, isto é, ao período da Grande Depressão.

A análise de Wolf estende-se também à relação militar entre os Estados Unidos e a Europa. No pior cenário, isto é, se Trump executar medidas que defendeu durante a campanha eleitoral, “as alianças ocidentais colapsam, a Rússia fica com relativa ‘carta branca’ para intervir na Europa de leste, possivelmente começando nos bálticos – e ele [Trump] já disse que não fará nada sobre isso, o que significa que a aliança será inútil, pelo que a NATO desaparece como força efetiva.”