Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

“Consumir de preferência antes de...”

d.r.

E se o prazo já estiver ultrapassado? O produto vai para o lixo, certo? Talvez não. Há dois tipos de prazos de validade – e um deles não implica ter de deitar os produtos fora. Há até um supermercado que os vende, com desconto

PEDRO ANDERSSON/SIC

É um conceito que já existe há muitos anos no Norte da Europa e nos Estados Unidos, mas que só agora chegou a Portugal. Descobri recentemente um supermercado exclusivamente online com produtos de marca com 30, 50 e até 70% de desconto. Aviso já que não é um conceito fácil de aceitar para muitos consumidores e que pode até ser polémico. Avalie.

Primeiro, temos de compreender que há dois tipos de prazos de validade. E fixarmos estes dois conceitos pode ser útil mesmo que não ache interessante o tal supermercado online. Há o “Consumir até…”, que é para levar muito a sério. É para produtos perecíveis - e consumi-los após esse prazo de validade é um risco que terá de assumir porque pode pôr em causa a saúde pública. É por isso que são retirados do mercado assim que esse prazo é atingido.

Mas há um segundo tipo de prazo de validade menos conhecido: é o “Consumir de preferência antes de…” A maior parte dos enlatados, molhos, especiarias, shampôs, cremes de beleza, aperitivos, batatas fritas, refrigerantes, etc. têm este prazo de validade. Este último prazo, tal como está na descrição, é uma “preferência”. Não é obrigatório.

O “problema” é que as empresas e as marcas têm medo deste prazo e não colocam estes produtos com prazo preferencial à venda se o fim desse prazo já estiver perto. O que acontece a estas centenas de milhares de produtos? Em muitos casos vão para o lixo, embora estejam em perfeitas condições de consumo. É perfeitamente legal comercializar este tipo de produtos com este segundo tipo de prazo, mesmo depois de expirado.

Há também milhares de embalagens de produtos que já não se vendem apenas porque a marca decidiu modernizar a embalagem e foram retirados das prateleiras dos supermercados. Estão dentro de todos os prazos.

Foi assim que nasceu o supermercado Good After, que pode visitar AQUI. Eles vão buscar às marcas aquilo que já não vai para os hipermercados e colocam à venda com descontos de 30 a 70%, conforme o prazo de validade “preferencial” já esteja ou não ultrapassado. Terá de ver os preços e os produtos um a um ,porque são apenas as oportunidades daquela semana. Na semana seguinte já podem ser outros, ou os mesmos, mas com descontos diferentes.

O que mais me impressiona é saber que provavelmente milhares de pacotes de bolachas, enlatados e massas vão para o lixo se não forem comprados aqui. Há algumas marcas que os oferecem a instituições. Mas mesmo as instituições não precisam de todos os tipos de produtos e o transporte acarreta custos que por vezes não são suportáveis para as empresas e para as instituições.

Se encomendar online, as suas compras chegam em princípio no dia seguinte pelo correio na morada que indicar (pode ser no emprego). Para não pagar portes, tem de fazer uma compra no mínimo de 49 euros. Se for menos, terá de pagar €3,95. Imagino que possa juntar produtos para várias pessoas diferentes (colegas ou família) e fazer a encomenda, se lhe interessar.

Veja se lhe interessa. É mais uma alternativa. Como disse no princípio, não é para todos, nem tem todos os produtos. Mas neste caso poupa a sua carteira e, sobretudo, ajuda a evitar o desperdício e poupa o ambiente.