Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Galp voltará a não pagar taxa da energia em 2017

José Carlos Carvalho

Petrolífera contesta o prolongamento da contribuição extraordinária para o próximo ano, mas fará uma nova provisão de cerca de 75 milhões de euros nas suas contas

Miguel Prado

Miguel Prado

Jornalista

A Galp Energia vai contestar judicialmente a continuidade da contribuição extraordinária sobre o setor energético (CESE) em 2017, e não liquidará a taxa que está prevista no Orçamento do Estado para o próximo ano.

O presidente executivo da Galp, Carlos Gomes da Silva, indicou esta sexta-feira que a estratégia da Galp será a mesma: irá contestar a CESE, não liquidando o imposto, embora constituindo, nos termos legais, uma garantia bancária de valor semelhante.

“Nós discordamos desse imposto, porque entendemos que viola as regras da tributação. É mais um ano que onera uma atividade económica”, comentou o gestor em conferência de imprensa.

Segundo o CEO da Galp, a empresa irá constituir uma provisão para esta matéria, estimando um impacto anual da ordem dos 75 milhões de euros.