Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Nokia reduz prejuízos, mas ainda está no 'vermelho'

O setor de mapas da Nokia era considerado uma das empresa mais apetecíveis a nível estratégico no mundo dos mapas digitais

Dado Ruvic

Perdas ficaram-se pelos125 milhões de euros no terceiro trimestre de 2016. O antigo líder mundial de telemóveis viu as receitas dispararem 94% depois da aquisição da rival franco-norte-americana Alcatel-Lucent.

A fabricante finlandesa de equipamento de telecomunicações Nokia anunciou esta quinta-feira que conseguiu reduzir os prejuízos, mas manteve-se no 'vermelho' no terceiro trimestre, depois de comprar a rival franco-norte-americana Alcatel-Lucent.

O antigo líder mundial de telemóveis registou prejuízos de líquidos de 125 milhões de euros no terceiro trimestre, contra perdas de 665 milhões de euros no trimestre precedente.

Graças à aquisição da Alcatel-Lucent, as receitas líquidas da Nokia aumentaram quase 94%, ao passarem de cerca de 3,04 mil milhões de euros para 5,89 mil milhões de euros.

O presidenteexecutivo da Nokia, Rajeev Suri, descreveu os resultados como sólidos, apesar das condições de mercado serem mais débeis do que as esperadas.

A Nokia foi o líder mundial dos fabricantes de telemóveis entre 1998 e 2011, tendo sido ultrapassada pela sul-coreana Samsung, depois de falhar na resposta ao rápido aumento dos 'smartphones’ (telemóveis inteligentes).