Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Domingues pode ganhar mais 50% em prémios

António Domingues, presidente da CGD

José Caria

Presidente da CGD ganhará quase o dobro do antecessor, sem contar com prémios. Costa diz pagar para não arriscar má gestão

António Domingues poderá receber prémios de desempenho anuais que ascendem a mais de 50% do seu salário fixo: €423 mil. O novo presidente da Caixa Geral de Depósitos (CGD) poderá, assim, ter uma remuneração total superior a €600 mil num ano em que cumpra objetivos.

Estas condições na remuneração, cumprindo determinados requisitos, poderão ser ainda um pouco superiores a 50% — estão de acordo com a lei bancária e são extensíveis a toda a administração executiva da CGD. E são semelhantes às de que Domingues beneficiava quando era vice-presidente do BPI. Em 2015, o gestor bancário obteve uma remuneração no BPI de €542 mil, prémio incluído. Comparáveis com práticas dos bancos privados, estas remunerações geraram polémica quando esta semana, o ministro das Finanças, Mário Centeno, as revelou no Parlamento. A nova comissão executiva do banco público irá ganhar mais do dobro da anterior. José de Matos, o antecessor de Domingues, auferia por ano €232 mil, o valor mais baixo pago aos presidentes dos maiores bancos portugueses. E o equivalente a €16 mil por mês. António Domingues vai ganhar de salário fixo quase €30 mil por mês.

Leia mais na edição deste fim de semana