Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Progresso notável realizado em Portugal, diz Draghi

FRANCOIS LENOIR/REUTERS

O presidente do BCE referiu na conferência de imprensa desta quinta-feira que Portugal realizou progressos notáveis, mas que há reformas que continuam pendentes. Nomeadamente resolução do crédito mal parado da banca e dívida empresarial

"Portugal realizou progressos notáveis, mas permanecem vulnerabilidades", referiu Mario Draghi, o presidente do Banco Central Europeu (BCE), na conferência de imprensa que se seguiu à reunião de política monetária desta quinta-feira.

Draghi respondia a uma questão sobre se o BCE pararia de imediato o programa de compra de ativos no caso de Portugal se a agência canadiana DBRS decidir na sexta-feira cortar para "lixo financeiro" o rating da dívida portuguesa.

O presidente do BCE foi claro: caso haja uma desgraduação da dívida portuguesa pela DBRS, a dívida portuguesa deixa de ser elegível para o programa de compra de dívida no mercado secundário e como colateral para o recurso ao financiamento por parte dos bancos.

No entanto, Draghi referiu os progresso realizados pelo país. Mas apontou as principais vulnerabilidades no seu entender: a dívida empresarial e o crédito mal parado.

  • O Banco Central Europeu decidiu adiar para a próxima reunião a 8 de dezembro decisões sobre o futuro do programa de quantitative easing (QE), mas "não está na ideia de ninguém" na equipa de Mario Draghi advogar uma paragem súbita em março de 2017 das compras de ativos

  • O Banco Central Europeu decidiu na sua reunião desta quinta-feira manter o quadro de política monetária, reafirmando que o programa de compra de ativos se manterá até março de 2017 sem alterações. Atenções viram-se para conferência de imprensa de Draghi às 13h30